Sexo 05/09/2017 20h09

Tire todas suas dúvidas sobre ereção

Para o homem, conseguir manter uma relação sexual é a coisa mais importante. Ela representa potência, força e masculinidade

Foto: Divulgação

Certo dia uma senhora, em torno de 58 anos, comentou que estava preocupada com uma questão sexual. Relatou que estava satisfeita com sua vida sexual, as relações eram menos frequentes, mas tinha desejo e boa lubrificação aos estímulos. O marido era muito carinhoso, com ereção e sem dificuldade na penetração. Então qual seria a preocupação? Ela estava pensando no futuro, especialmente do marido. Como seria se ele não tivesse ereção? Achava que isso é muito importante para ele. E a medicação? Não faz mal? Já tinha ouvido que podia causar um infarto até morte. O que fazer?

Cada vez mais se percebe que ter conhecimentos sobre sexualidade e como o corpo se adapta às funções sexuais é muito importante para diminuir preocupações e sofrimentos. Também os homens apresentam muitas vezes dificuldades, porém falam menos desse assunto e quase nunca procuram ajuda. Muitas vezes as mulheres percebem, mas também não sabem como ajudar. É fundamental que a mulher e o homem conheçam todos aspectos da resposta sexual humana para poder entender e buscar ajuda se necessário 

Para o homem a ereção é a coisa mais importante. Ela representa potência, força e masculinidade.  Corresponde à fase de excitação que é um fenômeno neurovascular e representada por aumento da entrada de sangue nas estruturas do pênis, fazendo com que aumente o tamanho e a rigidez. A ereção é fundamental para a penetração vaginal, pois a vagina é um espaço virtual que é dilatado com a entrada do pênis. 

“Muitos homens sofrem problemas de ereção?” Sim. Em pesquisa realizada no Brasil, onde foram avaliados homens com 18 anos ou mais, encontrou média de 46,2%, sendo 40,6% com menos de 40 anos, e 76,5% em homens com mais de 70 anos. Esses índices variam conforme o país ou região, porém ficam em torno de 50% . Em estudo realizado em Porto Alegre, com homens de 40 a 90 anos, foi encontrado índice de 53,9% com alguma dificuldade de ereção, mais frequente em idosos com mais de 65 anos.  Esses índices mostram também que as dificuldades de ereção aumentam com a idade, porém podem estar presente também em homens jovens.

“Não consigo ter ereção. Por quê?” Deve-se analisar se essa dificuldade sempre existiu ou é de aparecimento recente, podendo ser por causa orgânica ou psicológica. Quando ela tem inicio súbito, e em situações especiais, pode ser psicogênica, o que acontece na maioria dos homens mais jovens. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana, 70% em jovens são por questões emocionais. Atualmente as relações sexuais são mais abertas e livres ocorrendo a possibilidade de comparações de desempenho, com isso a ansiedade gera insegurança e medo da falha. Aí falha mesmo. Pode ser que com a primeira falha aconteça outra. A preocupação é “será que a/o parceira/o vai gostar da transa?”. Todas essas cobranças internas  e preocupações  geram um estado de tensão que é fatal para ereção.

“Muitas vezes acordo com ereção. Por quê?” A ereção matinal é normal. É desencadeada por descargas elétricas cerebrais, nas fases de sono profundo, chamadas de REM. Podem acontecer 5 a 6 vezes durante a noite de sono. Inclusive é uma forma de se avaliar se a falta de ereção é de causa orgânica ou psicológica.

“O que fazer de vez em quando tenho falta de ereção?” As causas psicológicas devem ser analisadas, podendo ser por insegurança, baixa autoestima, dificuldades de relacionamento, falta de desejo, problemas com ejaculação, não identificação ou aceitação de sua orientação sexual, entre outras. O melhor é buscar médico urologista para afastar causas orgânicas e psicoterapia que vai ajudar na eliminação de qualquer emoção negativa que pode estar interferindo no mecanismo da ereção. Muitas vezes o parceiro ou parceira podem ajudar neste tratamento.

“Tomar remédio ajuda?” Sim, pode ajudar. Atualmente ele é muito utilizado, especialmente por jovens para garantir a ereção e superar a insegurança. Ela atua diretamente no funcionamento do enchimento de sangue no pênis para ereção. Somente tomar medicamento pode não ser efetivo, precisa ter desejo e estimulação. A terapia oral é a primeira linha do tratamento. Sempre é bom consultar médico para ter indicação de medicação mais adequada. Vale lembrar que os medicamentos agem somente para ereção, e não aumentam o desejo e excitação.

“Quais são os melhores medicamentos?” Existem vários, e todos tem resposta favorável, inclusive pessoas com problemas orgânicos como diabetes, operados de próstata, depressão e doença vascular. No mercado brasileiro temos Viagra (sildenafila) e vardenafila. Efeitos adversos dependem da dose e são passageiros, os mais frequentes são dor de cabeça, calor e vermelhidão no rosto, dispepsia, rinite dentre outros. Pessoas que tomam medicações como vasodilatadores para o coração a base de nitratos não devem tomar pois tem risco de hipotensão e morte. 

“Se usar muito seguido, posso ter problemas?” Risco do uso prolongado e/ou frequente é de ficar dependente pelo medo da falha na hora da relação. O mais importante para ocorrer ereção é o desejo e estímulos adequados em uma relação na qual esteja presente a vontade e excitação, sem interferência de sentimentos  negativos ou culpa. 

“O pênis não fica ereto na segunda vez no mesmo encontro. É impotência?” Não. Problema seria se na primeira vez não tivesse ereção.  Na segunda vez é normal não conseguir. Após a ejaculação e orgasmo o corpo masculino entra numa fase chamada de refratária. Nesse período não responde aos estímulos, diferente da mulher que pode ter orgasmos múltiplos se continua sendo estimulada. O tempo de duração dessa fase varia e também é de acordo com a idade. Em jovens de 20 a 25 anos costuma ser breve, de 10 a 15 minutos. Já  homens com mais de 30 ou 40 anos demoram de 30 a 60 minutos. Em idosos, chega a levar de um a três dias. 

“Perco a ereção quando coloco a camisinha. Isso é problema?” Se isso ocorre com frequência pode ser uma disfunção situacional, ou seja, somente nesta situação porque apenas não consegue mantê-la. Existe um mito que a camisinha tira tesão e sensibilidade. A colocação do condom deve fazer parte do jogo amoroso. Parar a estimulação e ir buscar a camisinha em outro lugar é fatal. Ela deve ficar ao alcance da mão, já aberta.  A parceira/parceiro pode ajudar colocando a camisinha e fazendo parte da estimulação. Assim não interrompe a fase de excitação, que é a responsável pela ereção.

“Não gosto de usar a camisinha. Por que devo usá-la?” Em relacionamentos ocasionais ou recentes é muito importante para prevenção de gravidez não planejada e de doenças, especialmente HIV/AIDS. Essa doença atualmente tem tratamento, que é muito difícil e desgastante porque precisa ser por toda vida. Qualquer descuido pode ser fatal. O problema maior está presente porque uma pessoa pode ser portadora do vírus, não ter sintomas, aparentando saúde e passar a doença. A contaminação se dá pelo esperma do homem ou secreção vaginal, por isso a camisinha é tão importante. Tem outras doenças como hepatite, sífilis e gonorreia, que podem ser tratadas, porém podem ter complicações, como esterilidade, endocardite, encefalite, cirrose, etc.  

“Se a ereção começa a falhar tem alguma causa?” Neste caso pode ter uma causa ou doença orgânica. Embora as principais causas sejam psicológicas ou situacionais, cerca de 30% têm motivos orgânicos, por isso é muito importante procurar um urologista para ser feito o diagnóstico. Podem ser por problemas cardíacos e circulatórios, diabetes, medicamentos para hipertensão arterial. Alterações neurológicas que afetam a parte inferior da coluna, problemas e cirurgias de próstata, pênis encurvado ou com fimose, uso e abuso de álcool e drogas, causas hormonais, entre outros. O álcool em pequena dose pode ajudar a relaxar e ajuda na excitação e ereção. Em maior quantidade, pode dar ereção não efetiva, muita excitação, porém não acontece a ejaculação que fica bloqueada. As drogas funcionam da mesma forma.

“Mesmo sem ereção, posso ter prazer?” O prazer pode ser obtido de várias formas. Os homens podem ter desejo, excitação e orgasmo. Se a falta de ereção impede a penetração, o homem pode ter orgasmo com masturbação.  O orgasmo é uma sensação de intenso prazer, é sentida e percebida pelo cérebro. Pode ser acompanhada de ejaculação ou não. Pode ter ejaculação sem orgasmo. São fenômenos da resposta sexual no corpo, é comandada por uma série de neuro hormônios e substâncias produzidas durante a estimulação sexual. É independente da vontade, é um reflexo que simplesmente acontece.