Coluna da Renata 27/02/2018 10h57

O que é um casal sexualmente feliz? Existe?

A comunicação, o intercâmbio de opiniões, de gostos, de desejos íntimos, são componentes essenciais das boas relações sexuais entre parceiros

Foto: Divulgação

Notem que se fala em sexualmente, isto não quer dizer fazer sexo ou ato sexual. Sexualidade é um conjunto de sensações e resposta do corpo, com influência da educação e sociedade. Assim podemos dizer que é difícil ser sexualmente feliz se não houver felicidade e bom relacionamento na vida em comum.

Felicidade pode se traduzir como satisfação e bem-estar. Muitas pessoas conseguem separar o sexo puramente físico e momentâneo de uma relação sexual com afeto e sentimentos desenvolvidos na convivência. Não necessariamente um casal convive ou mora junto, pois existem muitos pares de pessoas que possuem um relacionamento eventual ou constante que também significa possibilidade de felicidade/satisfação.

A comunicação, o intercâmbio de opiniões, de gostos, de desejos íntimos, são componentes essenciais das boas relações sexuais entre parceiros, mais duradoura ou não. É possível compartilhar a sensibilidade, o intercâmbio corporal e as emoções simultâneas se já houve uma experiência semelhante em outras atividades ou se já foram compartilhados fatos, dificuldades no cotidiano. Em tais circunstâncias o ato sexual adquire as características de uma coisa muito boa, um ritual simples, sendo o ato sexual convertido em um momento relaxante, de íntima união.

LEIA TAMBÉM: Perguntas e respostas sobre masturbação

Entre parceiros/as em que há falhas, total ou parcial na sexualidade, não existe muitas vezes inter-relacionamento e comunicação. Podem se desenvolver sentimento mútuo de raiva, desconfiança; não faltam as discussões e  acusações em muitos momentos. É comum nos casais estremecidos a negativa de um dos dois a proporcionar prazer um ao outro, tanto em qualidade quanto em quantidade. Se pergunta: como a questão sexual na “cama” pode ir bem, se fora da cama nada vai bem? É nesse momento que surgem distúrbios e possíveis disfunções sexuais, como falta de desejo, dificuldade em lubrificação na mulher ou ereção no homem, o que leva a anorgasmia (falta de orgasmo), dor na relação sexual entre outros.

O ato/relação sexual tem uma sequência que começa com o desejo. Após, com estimulação, vem a excitação, e no final, com uma grande sensação de prazer, o orgasmo. Isto, se nada interromper esse ciclo. Na verdade essa forma de desenvolver a relação sexual é mais masculina. A mulher pode iniciar com estimulação e após surge o desejo. A grande maioria das mulheres tem desejo intenso na época de enamoramento e, após certo tempo no relacionamento, surge uma habituação e aí diminui o desejo.

Ele não fica ausente, somente diminui de intensidade e aparece em determinadas situações, especialmente com estímulos adequados específicos para cada mulher. Daí a importância da comunicação e conhecimento de como a mulher gosta de ser estimulada. Pequenos gestos de atenção no cotidiano e elogios representam um grande estímulo pois ela se sentirá valorizada e responderá mais facilmente aos estímulos ficando disponível ao ato sexual.

Então, um casal sexualmente feliz é aquele que tem conhecimento de diversas formas de se relacionar através do entendimento de seu/sua parceira, além das diferenças na maneira  de desenvolvimento das ações sexuais. O casal pode buscar soluções para pequenos impasses e entendimento do que pode estar dificultando momentaneamente através de diálogo e busca de conhecimentos sobre sexualidade. Caso haja dificuldade em encontrar a solução ou melhoria da relação, está indicado a procura de um profissional em relacionamento e/ou sexualidade.    

SAIBA MAIS: Tudo o que você precisa saber sobre sexo oral