Arte 02/10/2019 20h28 Atualizado às 10h29

Lula Werner inaugura exposição inspirada no belo e nas paisagens da primavera

Telas ficam até dia 18 na sala térrea do Residencial Rosa Center (Tenente Coronel Brito esquina com a Tiradentes)

Artista plástico inquieto, que convive com o eterno desejo de sempre inovar e se renovar, Lula Werner é original até quando se trata da escolha do espaço onde vai expor os seus trabalhos. Já o fez nos mais distintos locais – inclusive a céu aberto – e nesta quinta-feira, 3, às 20 horas, inaugura exposição na sala térrea do Residencial Rosa Center (Tenente Coronel Brito esquina com a Tiradentes), com um coquetel para convidados, amigos e simpatizantes das artes visuais. Suas telas ficarão no local até o próximo dia 18 e configuram-se em mais uma atração, de alto nível, inclusive para aquele turista que virá para a Oktoberfest devido à proximidade com o parque.

“Estou muito feliz de conseguir realizar mais uma individual. Vou mostrar quadros que pintei durante estes três anos, desde a última individual em 2016 (na Casa das Artes Regina Simonis)”, comentou Werner, no convite que fez para o Mix. Acrescenta que, nesta coletânea, ele se inspirou em trazer “o belo, a paixão e as cores das flores, dos pássaros e das paisagens na primavera”.

Entre individuais e coletivas, Lula Werner contabiliza 50 exposições. A maioria delas em Santa Cruz do Sul. Mas já expôs também em Porto Alegre, Lajeado, Vera Cruz e Criciúma, em Santa Catarina. Seu forte é o figurativo, pintando com impressionante precisão paisagens, casarios, a figura humana, tanto que suas telas, por vezes, são confundidas com fotografias, tão seguro é o seu apuro técnico.

E também trafega, com igual desenvoltura, pelo surrealismo e os abstratos, atingindo um público de e-cléticas preferências. “Dedico meu trabalho a todos os gênios da pintura e da arte em geral, pois a cada obra concluída, a satisfação em criar e produzir dentro de uma técnica e estilo próprio é algo indescritível.”
Lula costuma dizer que prefere viver para a arte do que viver da arte. “O empenho e o desejo de aprimorar o meu trabalho me remeteram a uma profunda pesquisa de obras antigas, mas pouco divulgadas.” Afirma que foi surpreendente perceber a capacidade de produzir obras com excelente qualidade e com recursos escassos. “Esta pesquisa me fez ver e sentir que a arte é um universo de conhecimento e aprendizado constante.”

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação