Filme 07/10/2019 21h20 Atualizado às 12h27

Amigos do Cinema apresenta Retrato do Amor

O cineasta indiano Ritesh Batra será exibido nesta terça, às 20 horas

O cineasta indiano Ritesh Batra ficou conhecido por seu filme de estreia, The Lunchbox, que no Festival de Cinema de Cannes, em 2013, ganhou o prêmio Rail d’Or. Nesta terça-feira, 8, a partir das 20 horas, a Associação dos Amigos do Cinema de Santa Cruz do Sul exibe, na sede do Sindicato dos Bancários (Sindibancários, na Rua Sete de Setembro, 489), o seu filme mais recente, Photograph – traduzido no Brasil como Retrato do Amor. A entrada é franca.

Pressionado por sua família a se casar o mais rápido possível, Rafi, fotógrafo (interpretado por Nawazuddin Siddiqui) de Mumbai, convence uma tímida estranha, Miloni (Sanya Malhotra, do fenômeno de público Dangal), a fingir ser a sua noiva durante a visita da avó. Apesar da relutância, ela aceita a proposta e os dois desenvolvem um laço totalmente inesperado.

De uma delicadeza rara, o diretor mostra uma Índia pé no chão, do dia a dia, sem a suspensão do realismo dos musicais de Bollywood, muito coloridos e cheios de fantasia. Sua trama é uma espécie de Cinderela, só que troca o sapatinho de cristal por um retrato. Uma história de amor daquelas de fazer plateias suspirarem. Exibido em Sundance, no fim de janeiro, é uma fábula sobre o bem querer com temperos multiculturalistas e um toque de marxismo.

Rafi encanta-se com Miloni e com o que seu sal de prata produz. Ela também fica embevecida com a beleza do trabalho feito por ele. Os dois separam-se naquele momento, dada a diferença social entre eles, mas não esquecem um do outro.
De andança em andança, os dois, introspectivos, vão se cruzar… justamente quando ela quer escapar de um noivado arranjado e ele precisa de uma companheira para dar a satisfação casamenteira à avó, que o criou. Numa conversa com a moça e na promessa de múltiplas fotos, ele consegue que ela se passe por sua namorada. Só que o amor que ele sente é legítimo e crescente.

Uma reciprocidade vai se estabelecer pouco a pouco, mas de um jeito que desafia as convenções de Hollywood. E isso é contado com uma mistura nada ortodoxa de fantasia e realismo, com não atores por todos os lados. Existe até um fantasma no enredo, que ganha mais densidade com a anciã que educou Rafi, uma senhora de muita experiência quando o assunto é amar ou pagar as contas de um lar. Batra prepara-se para lançar em alguns meses Little Bee, com Julia Roberts, sobre os contratempos na adoção de órfãos africanos.