DICA DE LEITURA 27/04/2020 23h14

Ler faz muito bem: a inspiração desaparece, um mistério aparece

Um dos grandes nomes da nova geração, Joël Dicker conta a história de um autor que investiga uma acusação de assassinato contra seu mestre

Em tempos de quarentena, a Gazeta do Sul indica um livro por dia, propondo uma leitura instrutiva e aprazível, para viajar pelo mundo sem sair de casa.

Dica de hoje:

A VERDADE SOBRE O CASO HARRY QUEBERT, de Joël Dicker. Tradução de André Telles. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014. 582 p. R$ 42,00.

Um dos mais promissores nomes da nova geração de autores em âmbito global, o suíço Joël Dicker, de 34 anos, teve neste seu romance A verdade sobre o caso Harry Quebert, publicado em 2012, com ampla acolhida positiva. A história gira em torno da rotina de um escritor, Marcus Goldman, cuja capacidade criativa emperra; e ele recorre a seu amigo e ex-professor, um dos autores mais incensados dos Estados Unidos, que nesse meio tempo é acusado de ter assassinado uma adolescente. Assim, Goldman tenta ao mesmo tempo retomar a plena forma na escrita e investigar o que se oculta por trás das acusações ao seu mestre, agora preso.

LEIA MAIS: Gazeta do Sul traz uma indicação de livro por edição