Dica de leitura 14/05/2020 15h23

Ler faz muito bem: 'Como água para chocolate'

Romance constituiu a estreia da escritora mexicana Laura Esquivel. Na história, Tita, filha mais nova em sua família, por tradição não deve se casar, dedicando-se a cuidar da mãe em sua velhice

Em tempos de quarentena, a Gazeta indica um livro por dia, propondo uma leitura instrutiva e aprazível, para viajar pelo mundo sem sair de casa.

Dica de hoje:
COMO ÁGUA PARA CHOCOLATE, de Laura Esquivel. Tradução de Olga Savary. São Paulo: Martins Fontes, 1993. 208 p. R$ 49,50.

LEIA MAIS: Ler faz muito bem: o rei da geração beat

O romance Como água para chocolate constituiu a estreia da escritora mexicana Laura Esquivel, em 1989. Três décadas depois, segue como um best-seller incontestável, misturando no enredo ingredientes que só poderiam mesmo cair no gosto dos leitores: na história, Tita, filha mais nova em sua família, por tradição não deve se casar, dedicando-se a cuidar da mãe em sua velhice.

Mas as habilidades dela em preparar alimentos à base de cacau colocam toda a região em polvorosa, em pleno começo de século 20 marcado pela revolução mexicana (1910-1924). Laura tornou-se uma das principais escritoras latino-americanas no final do século 20 e neste princípio de século 21. Aos 69 anos, ao lado da chilena Isabel Allende e da conterrânea Ángeles Mastretta, firmou um estilo na literatura mundial.

LEIA MAIS: Ler faz muito bem: Rimbaud na África