Receita 26/06/2020 20h34 Atualizado às 16h17

Eu, Gourmet: o pesto de rúcula

Se há um molho que conquista pelo seu sabor inigualável, este é o pesto

Quem já não esteve frente a frente com um belo penne ao pesto e, antes mesmo da primeira garfada, não estampou um sorriso de orelha a orelha? Pois é, o saborosíssimo molho pesto nasceu na cidade de Gênova, na Itália. Por conta do clima favorável, a região é rica na variedade de ervas frescas e um sem-fim de ingredientes in natura e saudáveis. Tanto que o manjericão mais aromático do mundo vem daquela região.

O preparo deste molho tem seus primeiros registros no livro dos irmãos Ratto, o Cuciniera Genovese. Ainda se utiliza em muitos lugares o pilão para preparar este molho, esmagando-se nele os ingredientes. Por isso a palavra “pesto” tem origem no verbo italiano “pestare”, que quer dizer macerar. Tradicionalmente é preparado com manjericão, alho, queijo de leite de ovelha (queijo pecorino) e pignoli, um tipo de pinhão menor, amassado, picado e somado com sal e azeite de oliva. Acompanha muito bem massas, batatas e carnes. Mas hoje vou apresentar uma variante deste molho, usando rúcula. Portanto, acompanhe a receita do Pesto de Rúcula.

LEIA TAMBÉM: Band anuncia data de estreia da 7ª temporada de ‘MasterChef Brasil’

INGREDIENTES

1 maço de rúcula
Meia xícara de chá de amêndoas ou nozes
1 dente de alho
Meia xícara de chá de azeite de oliva extravirgem
4 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
Sal e pimenta-do-reino a gosto

PREPARO

Lave e seque bem a rúcula. Rasgue as folhas em pedaços, transfira para o copo do processador e junte todos os demais ingredientes. Tempere com o sal e a pimenta e bata bem. Transfira para uma molheira e sirva a seguir com massas, grelhados, sanduíches e tudo o que sua imaginação gastronômica quiser.

Fala Baco

A região espanhola de Navarra, em Ribera Baja, abriga a Bodega Pago de Cirsus, brindada com o clima continental europeu com verões quentes e secos e invernos bem frios. Lá se produz um blend com 50% Syrah, 25% Tempranillo e 25% Merlot, o Pago de Cirsus Oak Aged 2018, vinho de ótimo corpo e perfeita integração da fruta com a madeira e seus 14,5% de graduação alcoólica.

Possui cor rubi brilhante e envolvente e logo ao retirar-se a rolha sua carga aromática espraia-se pelo ambiente com frutas maduras (cerejas e groselhas em compota), alcaçuz, caramelo, couro, hibiscos, especiarias, tostado e toque mineral. Boca com boa pegada tânica, médio corpo, muito redonda. Fruta macerada e bem integrada à tosta da barrica. Ótimo retrogosto, amplo final.

Mesmo sendo 2018, um vinho pronto e delicioso para consumir. Noventa por cento do vinho amadurece em barricas de carvalho francês e 10% em americano, por nove meses.

Na harmonização, acompanha muito bem leitão assado no forno com pururuca, marreco assado, codorna recheada, legumes na brasa, cordeiro, presuntos e embutidos.

Possui 14,5% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado na temperatura de 16 graus.

Você encontra o vinho Pago de Cirsus na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Avenida João Pessoa, 895, em Santa Cruz do Sul. Telefone (51) 3711 3665, telentrega pelo whatsapp (51) 98416 6407 e site www.weinhaus.com.br.

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!


Por aí…

Inspirados pela “safra das safras”, enólogos de todo o Brasil estão desafiados a fazer o melhor vinho de suas vidas. Isso porque a safra 2020 apresentou um comportamento climático que, aliado às condições técnicas atuais, foi determinante para considerar esta safra a melhor de todos os tempos. O resultado será apresentado na Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2020, no dia 7 de novembro, pois em razão da pandemia do coronavírus não será na tradicional data no mês de setembro.

O presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Daniel Salvador, explica que com uma safra histórica como esta é impossível deixar de realizar o evento, mesmo que ele precise sofrer alterações como a redução no número de pessoas, por exemplo. “Temos um bom tempo até novembro. Saberemos estudar o melhor formato e adotar todas as medidas de segurança necessárias para garantir o sucesso do evento e, principalmente, a prevenção da saúde de todos os participantes”, assegura.

A 28ª edição segue sendo realizada no Parque de Eventos de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, onde serão apresentados os 30% mais representativos da safra 2020 e degustadas as 16 amostras selecionadas neste grupo.

Não existe traição maior do que guardar um chocolate na geladeira e outra pessoa comer

Anônimo

LEIA MAIS: Eu, Gourmet: o côngrio com páprica e amêndoas