Eu, Gourmet 31/12/2020 16h07 Atualizado às 16h22

Ceia da virada: salmão em perfume de páprica com cambuci

Para que o ano novo venha com bons fluidos, reza a lenda que deve-se levar à mesa carnes de animais que andam pra frente

Reza a lenda que, para que o ano novo venha com bons fluidos, deve-se levar à mesa na ceia da virada, além de muitos frutos e sementes, também carnes de animais que andem para a frente – suínos, peixes e outros. Se funciona ou não – tenho lá minhas dúvidas, pois se funcionasse mesmo, por que a onda Covid tomou conta do mundo neste ano, cegando até mesmo os “videntes” que nada viram? –, o fato é que podemos saborear receitas tradicionais com um toque diferente, tornando a noite especial na companhia de pessoas queridas. E no prato desta semana juntamos o salmão com a páprica e a pimenta cambuci, formando um mix delicioso de sabores! Confira!

LEIA MAIS: Eu, Gourmet: aprenda a fazer gratin de bacalhau com leite de coco

COM O QUE E COMO FAZER*

Ingredientes: (para 4 pessoas)

1 kg de filé de salmão cortado em fatias
3 colheres de sopa de azeite de oliva
10 pimentas cambuci
Pitadas de páprica
Pimenta-preta moída na hora
1 colher de chá de alho em pasta
Suco de 1 limão
Sal a gosto
Ramo de alecrim fresco

Preparo: tempere o salmão com sal, pimenta, alho e páprica. Reserve. Aqueça o azeite de oliva numa frigideira, disponha as fatias de salmão com a parte da carne para baixo por cerca de 3 minutos. Junte as pimentas cambuci sem as sementes – estas são bem ardidas –, salpique–as com sal e deixe fritar por mais 2 minutos. Vire as fatias de salmão para o lado da pele para baixo agora. Vire também as pimentas. Deixe por mais 2 a 3 minutos, regue as fatias com o suco de limão e sirva em seguida, acompanhado de batatas ao forno e salada verde.

Confira receitas, crônicas e dicas de vinhos acessando o blog www.eu-gourmet.com

LEIA TAMBÉM: Eu, Gourmet: uma receita fácil de queijo brie empanado

FALA, BACO

E é de uma vinícola de Flores da Cunha que vem o vinho comentado desta semana – e o último comentado de 2020! Ele é elaborado pela Casa Venturini, vinícola capitaneada pelo enólogo Zeca Venturini, que produz rótulos com uvas cultivadas em diversas regiões vitivinícolas, como na Campanha Gaúcha, caso deste Rosé, o Le Bateleur Rosé de Tannat 2020.

Segundo falam na escolha do rótulo, o lendário Tarot de Marselha, “Le Bateleur” (O Mago) é a carta que dá início à caminhada espiritual. Representa o poder da mente em direcionar um projeto com maestria. Além de reunir criatividade, naturalidade e espontaneidade, retrata a pura concentração de esforços e conhecimento, capaz de proporcionar um repleto leque de sensações. O fato é que esse Rosé é um ótimo vinho, carrega a carga alcoólica do Tannat, que lhe dá vida, mas com personalidade própria.

Possui coloração rosa salmão, muito límpida e brilhante. Ao servir a taça, os aromas irradiam frutas vermelhas frescas – morango, romã, pitanga e mamão –, notas de tutti-frutti e toque floral. Em boca acidez correta, fresco e vibrante, com ótima estrutura para pratos além do trivial.

Faz bonito na companhia de carne de cordeiro magra, rosbife, carpaccio, alguns risotos e massas com molho branco, frango na chapa com legumes, saladas e canapés.

Possui 13,8% de graduação alcoólica, e o ideal é ser degustado na temperatura de 8 a 10 graus.

Você encontra os vinhos da Casa Venturini na Wein Haus, loja especializada em vinhos, localizada na Rua João Pessoa 895, Santa Cruz do Sul, fone (51) 3711 3665, telentrega pelo (51) 98416 6407 e site www. weinhaus.com.br

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!

LEIA MAIS: Eu, Gourmet: o dia mundial do sushi

VOCÊ SABIA?

A pimenta cambuci tem um gosto refrescante e adocicado, é conhecida também como chapéu-de-bispo ou chapéu-de-frade. Dizem que tem origem em terras peruanas, mas já era conhecida pelos índios tupi-guaranis, que lhe deram o nome. A palavra significa “jarro”, ou qualquer coisa cônica que sirva para depositar líquidos. Colhidas verdes para ter mais tempo de vida, as cambucis pendem vigorosas e silvestres em pequenos arbustos que se concentram nas regiões Sul e Sudeste do Brasil e podem ficar vermelhas quando maduras.

As espécies de pimentas desse gênero Capsicum pertencem à família Solanaceae, como o tomate, a batata, a berinjela e o jiló. O chapéu-de-frade, bem como as demais pimentas, é classificado como alimento funcional, pois apresenta em sua composição flavonoides – pigmentos vegetais com ação antioxidante, que previnem o câncer. É rico em vitaminas A, E e C, ácido fólico, zinco e potássio. Além das fibras alimentares, que auxiliam na diminuição das taxas de gordura sanguínea.

LEIA MAIS: Aprenda a preparar uma colorida e saborosa salada grega