Eu, Gourmet 19/02/2021 21h23 Atualizado às 22h37

Receita: canapé de pera caramelizada, patê de fígado e geleia de pimenta

Quando reunimos ingredientes inusitados e distintos na receita, o resultado é único e surpreendente

Usar a criatividade e expô-la na elaboração de um novo prato ou receita é uma das grandes motivações dos aficionados pela arte das lidas de forno e fogão. Entendo que a sobreconjugação de texturas, aromas e sabores, mantida suas características individuais e reveladas aos comensais, traduz-se no ápice da excelência culinária. Misturar o cítrico, o doce, o picante, o crocante e o herbáceo numa única receita, mas que ao ser saboreada conserve um pouco de cada um desses elementos, é mais uma dos gostosos prazeres que essa prática denota.

E a receita de hoje vai nesta linha, em resumo, uma deliciosa arte de unir características diferentes, com cada uma preparada com todo o cuidado e a dedicação que as boas pessoas que nos rodeiam merecem. Confira o preparo do canapé de pera caramelizada, patê de fígado e geleia de pimenta.

LEIA MAIS: Ótima safra: por dentro da vindima da Serra Gaúcha

Com o que e como fazer

Patê de fígado de galinha

Ingredientes:
● 250 g de fígado de galinha totalmente limpo em pedaços
● 4 colheres de sopa de manteiga gelada em pedaços
● 4 colheres de sopa de cebola picadinha
● 1 colher de sopa de conhaque
● Sal e pimenta do reino a gosto
Preparo: Aqueça a manteiga numa frigideira antiaderente e doure a cebola e junte o fígado, o sal e a pimenta. Adicione o conhaque e deixe refogar em fogo alto por cerca de 5 minutos. Retire do fogo e deixe amornar por 15 minutos. Leve ao processador ou liquidificador e bata até virar uma pasta. Despeje o patê num pote, cubra com filmito plástico ou tampa e leve à geladeira.

Geleia de pimenta

Ingredientes:
● 200 g de pimenta cambuci sem sementes
● 200 g de açúcar cristal
● 1 colher de sopa de suco de limão
Preparo: Corte as pimentas em pedaços bem pequenos com cuidado para não restar sementes, pois é onde está a maior picância delas. Leve o açúcar e as pimentas para cozinhar em fogo baixo. Some o suco de limão. Se formar espuma no cozimento retire com uma escumadeira. Mexa seguidamente para não grudar no fundo da panela ou frigideira. Deixe cozinhar por cerca de uma hora. Deixe esfriar e se ficar muito consistente, adicione um pouco de água fervente e leve ao fogo novamente mexendo sempre. Leve à geladeira em pote esterilizado.

Pera caramelizada

Ingredientes:
● 2 peras descascadas e cortadas em fatias de cerca de 1 centímetro
● 4 colheres de sopa de açúcar cristal
● 1 pau de canela
● 2 cravos da Índia
● Meia xícara de água fervente se precisar
Preparo: Caramelize o açúcar em uma frigideira grande e antiaderente e fogo baixo. Junte o cravo e a canela e mexa devagar para o açúcar não queimar. Se precisar junte água fervente aos poucos. Coloque as peras na calda caramelada e deixe por cerca de 10 minutos cada lado ou até ficarem macias mas tenras.

Montagem

Ingredientes:
● 12 fatias de baguete tostada no azeite de oliva (podem ser 12 torradinhas médias)
● Cebolinha verde fresca picada
Numa travessa disponha as fatias de pão ou as torradinhas e sobre estas acomode as fatias de pera (observe que as fatias de pão devem ser do mesmo tamanho das fatias de pera). Em seguida coloque com uma colher de chá ou espátula um bocado de patê de fígado e logo em cima um pouco de geleia de pimenta. Salpique com a cebolinha verde e sirva acompanhado de um belo espumante brut.

*Confira receitas, crônicas e dicas de vinhos acessando o blog www.eu-gourmet.com

LEIA MAIS: Aprenda a fazer um saboroso risoto de camarão com alho-poró e pimentões

Fala, Baco

Abri nesta semana um belíssimo vinho produzido pelos hermanos argentinos em Mendoza, pela Bodega Sottano Vicentin.Tratase do Vicentin Maldito 2016, ícone da bodega, um inusitado blend de apenas uma casta, a Malbec, mas de três safras diferentes (2014, 2015 e 2016) e de três regiões diferentes (Vale do Uco, Chacayes e Lujan de Cuyo). O Maldito é elaborado com as melhores safras do Colosso, um outro vinhaço desta vinícola.

A safra 2014 tem passagem em barricas de carvalho francês por 36 meses, a safra 2015 tem passagem de 24 meses e a 2016 passa 12 meses em barrica. Para melhor experimentação, o ideal é deixar este vinho decantando por cerca de uma hora e então servi-lo. Logo ao preencher a taça percebemos a coloração rubi negra, turva e com reflexos púrpura e uma explosão de aromas no entorno do ambiente.

Notas de frutas negras maduras com cereja, amora, groselha, ameixa, cassis, alcaçuz, violetas, chá preto, pimenta preta, couro, chocolate, café e tostado. Em boca, muito encorpado, com taninos redondos e macios, aveludado, com álcool despercebido e amplo e agradável final, trazendo ameixa preta, cereja, café e chocolate.

Acompanha carnes vermelhas assadas, risotos, massas com molhos encorpados, queijos de cura, carne de caça na panela e até mesmo chocolates.

Possui 15,2% de graduação alcoólica e o ideal é ser degustado na temperatura de 18 graus.

E lembre-se: se beber, NÃO DIRIJA!

A vida é como um sanduíche: é preciso recheá-la com os melhores ingredientes.

Anônimo

LEIA MAIS: Aprenda a fazer um saboroso bolinho de aipim com charque