JF Vighi 15/10/2018 00h38 Atualizado às 11h49

A derrota

Que não seria fácil sabíamos

Que não seria fácil sabíamos. O Palmeiras é líder da competição, jogava em casa e o Felipão podia escolher no seu excelente plantel quem iria enfrentar o Grêmio. Renato não pôde contar com alguns titulares. Levar um gol cedo é extremamente preocupante. O Palmeiras aproveitou a fragilidade do Marcelo Oliveira e a qualidade do Dudu para fazer o primeiro gol com Deyverson.

O Tricolor gaúcho teve mais posse de bola, porém foi totalmente inexpressivo no ataque. O primeiro tempo foi uma fotografia de um time sem soluções. Renato optou em não mudar na volta do vestiário. Pepê, Jael e Marcelo Oliveira estavam muito mal no jogo. Sem soluções no banco de reservas, a primeira troca só aconteceu porque Luan saiu machucado. A entrada de André também não mudou nada, e o Palmeiras ainda fez outro gol com Deyverson. A derrota deixa o Grêmio com poucas chances de chegar ao título do Brasileirão.

A virada

Já dizia o dito popular: “De virada é bem melhor”. Assim foi a vitória do Internacional, no Beira-Rio. Contradizendo um pouco a expectativa, Odair Hellmann começou o jogo com William Potker, quando se esperava Leandro Damião. O gol no começo da partida trouxe uma frustração. Porém, a lesão do Pottker e a entrada do Leandro Damião mudaram a história.

O centroavante fez dois gols e sofreu o pênalti, que Nico López converteu. O Inter foi melhor no primeiro tempo e o gol, aos 45 minutos, foi a comprovação disso. Com uma tarde feliz também de D’Alessandro, o Colorado criou boas situações e a recompensa foi a virada. O São Paulo demonstrou, em alguns momentos, poder de reação, mas não o suficiente para evitar o terceiro gol. O Colorado continua imbatível em sua casa. O Santos é a próxima vítima.