JF Vighi 21/01/2019 00h50 Atualizado às 09h30

Eita, Gauchão

O Gauchão começou com suas tradições e particularidades. Uma delas é a polêmica de arbitragem. No sábado, em Veranópolis

O Gauchão começou com suas tradições e particularidades. Uma delas é a polêmica de arbitragem. No sábado, em Veranópolis, Eder Zanella mostrou imaturidade e não conseguiu administrar reclamações do Avenida sobre um pênalti, que realmente aconteceu, e expulsou a comissão técnica alviverde ainda no primeiro tempo. Fabiano Daitx começou com Marcos Paraná e Tito, dois jogadores que já estavam pedindo passagem. O Avenida controlou o Veranópolis, marcando bem e buscando o contra-ataque. A marcação do pênalti criou toda a confusão e o gol de empate. No segundo tempo, o Avenida optou por marcar o adversário no seu campo. Foi difícil segurar. Teve apenas um bom contra-ataque e levou uma pressão forte, com boas situações do Veranópolis, defesas importantes do Andrey e bolas no travessão. Levando-se em consideração que o adversário tem um histórico positivo em seu campo, o empate ficou bom. No Gauchão, ganhar um ponto fora de casa sempre é bom. O próximo jogo é amanhã, nos Eucaliptos, contra o Brasil de Pelotas, que levou três do Caxias no Bento Freitas.

A dupla
A vitória do Grêmio alternativo não deixou dúvidas. Primeiro tempo um pouco complicado, mas bastou uma lance para fazer 1 a 0. O Novo Hamburgo, do santa-cruzense Bolívar, tentou reagir, mas não conseguiu empatar. Marinho entrou e fez 2 a 0. O Novo Hamburgo se desestruturou totalmente. Resultado justo. O Internacional, com um time totalmente novo, levou um sufoco do São Luiz em Ijuí. O segundo tempo do Inter foi melhor. A entrada do Neilton deu dinâmica ofensiva. Emerson Santos, com um chute de fora da área e falha do goleiro Carlão, concretizou a vitória.