JF VIGHI 14/09/2020 17h51

Na Arena

Grêmio, jogando em casa, empatou com o Fortaleza. Inter, mesmo com um a mais, perdeu para o lanterna Goiás

A vitória contra o Bahia amenizou um pouco o momento ruim do Grêmio no Brasileirão. Dois jogos fora de casa e quatro pontos. Bom. Voltar para a Arena parecia ser o momento certo para iniciar a recuperação. Não foi assim. Além de levar um gol do Fortaleza ainda no primeiro tempo, a postura excessiva de toque de bola sem ofensividade deixou o jogo a favor do adversário. Além disso, a saída de Maicon mais uma vez machucado deixou o time órfão de seu melhor jogador e da liderança dentro de campo. Desta vez, a entrada de Robinho não foi suficiente para uma reação ainda no primeiro tempo.

Não é costume o Renato trocar no intervalo. Desta vez, tirou Isaque, de baixa atuação, e colocou Luiz Fernando, que acabou sendo expulso. O pênalti para o Grêmio precisou ser batido duas vezes para valer o gol tricolor. Mesmo com muita insistência, porém desorganizado mais uma vez, o Grêmio não conseguiu sair do empate. O foco passa a ser um jogo difícil na quarta-feira, no Chile, pela Copa Libertadores.

A derrota

Não é a primeira vez que o Internacional se complica e tem muitas dificuldades com um jogador a mais em campo. O Goiás teve um jogador expulso no primeiro minuto de jogo. O caminho estava aberto para a vitória contra o lanterna e com um jogador a menos. Nada seria melhor. Afinal, o potencial intenso nos jogos anteriores passaria por cima do adversário. Não aconteceu. O Colorado foi lento, burocrático e sem uma definição ofensiva. Pouca produção.

O Goiás achou um gol no fim, em infelicidade de Marcelo Lomba. O segundo tempo foi um festival de chuveirinhos na área que só facilitaram a retranca adversária. A regularidade nas atuações é um dos pontos fortes para quem busca títulos. Agora é pensar na quarta-feira, no Beira-Rio, contra o América de Cali pela Copa Libertadores.

LEIA OUTRAS COLUNAS DE J F VIGHI