Memória 02/10/2017 08h48

Prédio centenário

Prédio do antigo Colégio Júlio de Castilhos orgulhava a comunidade

Foto: Reprodução

 Imponência do edifício era motivo de orgulho
Imponência do edifício era motivo de orgulho

No dia 20 de setembro, o prédio histórico da Secretaria do Planejamento de Santa Cruz (esquina da Rua Tenente Coronel Brito com Borges de Medeiros) completou 114 anos. A inauguração ocorreu em 1903.

O edifício foi construído para ser sede do Colégio Distrital Júlio de Castilhos. A convite do intendente (prefeito da época) Adalberto Pita Pinheiro, o empreendedor Clemens Borggreve bancou a obra. 

A Intendência se comprometeu a alugar o imóvel por nove anos, com preferência de compra no décimo ano. Em estilo neo-renascentista, a construção foi executada pelo arquiteto Heinrich Schütz. 

Até a conclusão das obras do edifício, as aulas foram em salas alugadas. Algumas turmas estudavam no prédio que hoje abriga a Choperia Amsterdan (esquina da Marechal Floriano com Borges) e outras na frente, onde hoje é o restaurante Quirô (antiga sorveteria Castelinho).

O Júlio de Castilhos, primeiro grande colégio público da Vila de Santa Cruz, foi criado em 14 de fevereiro de 1902, por iniciativa do Estado e da Intendência. Possuía duas séries para rapazes e duas para moças. Existia uma turma complementar, com aulas facultativas de Inglês, Alemão e Latim. 

Após a inauguração, em 1903, as turmas se transferiram para a nova sede. O belo prédio era motivo de orgulho para os santa-cruzenses. 

Em 1933, a Prefeitura optou por não renovar o contrato com Borggreve e decidiu construir uma sede própria para o educandário. Nasceu então o prédio histórico da Rua Carlos Trein Filho esquina com a Júlio de Castilhos (hoje Escola Estado de Goiás).

O edifício da Brito foi, por muitos anos, sede do Fórum. Atualmente, abriga a Secretaria do Planejamento.