Memória 15/01/2018 09h54

Surpresas com aviões

Situações envolvendo aviões causaram comentários em Santa Cruz do Sul e região

Foto: Reprodução

Hidroavião em Rio Pardo movimentou a atual Praia dos Ingazeiros
Hidroavião em Rio Pardo movimentou a atual Praia dos Ingazeiros

Situações envolvendo aviões causaram comentários em Santa Cruz do Sul e região. Uma foi em 1930, quando um hidroavião desceu em Rio Pardo, no Rio Jacuí. Muita gente foi ver a novidade na Praia dos Ingazeiros.

Outra aconteceu em 19 de outubro de 1946, um sábado à tarde. O teco-teco Vale do Paraíba, do Aeroclube Santa Cruz, pilotado por Flori Fettermann e tendo Lauro Goettems como acompanhante, realizava manobras sobre a estrada velha entre Santa Cruz do Sul e Rio Pardo.

Perto da Fazenda Hildebrand, o avião perdeu a altura e atingiu o automóvel dirigido por Rubem Kaempf, que viajava com mais cinco pessoas. O piloto evitou a batida de frente, mas a asa do teco-teco e uma das rodas amassaram o carro. 

Fettermann conseguiu levar oa aeronave até a pista de pouso, que ficava onde hoje é a Metalúrgica Mor (DI). Ninguém se feriu.

Em 24 de fevereiro de 1959, um teco-teco do Aeroclube Santa Cruz realizou pouso forçado, em plena rua, na Vila Xavier (Encruzilhada do Sul). O piloto Paulo Survilla relatou que vinha de Pelotas e foi surpreendido por um temporal. Ninguém se feriu.

No dia 22 de agosto de 1960, o avião DC-3 da Varig, que trouxe o candidato a vice-presidente João Goulart a Santa Cruz, atolou na pista. O novo aeroporto, em Linha Santa Cruz, estava em obras e o piloto desceu no campo do Distrito Industrial.


Avião de Jango atolou

Patrolas da Prefeitura e do Daer trabalharam para desatolar o avião, de 12 toneladas. Muita gente acompanhou os serviços. O DC-3 só deixou o local cinco dias depois do fato.