Memória 29/01/2018 09h52

Espanhóis II

Semana passada, destacamos o trabalho dos imigrantes espanhóis Jesus Gil e Lino Garcia em Santa Cruz do Sul

Foto: Reprodução

Lino Garcia (D), dois filhos, a nora Nelly e uma de suas netas
Lino Garcia (D), dois filhos, a nora Nelly e uma de suas netas

Semana passada, destacamos o trabalho dos imigrantes espanhóis Jesus Gil e Lino Garcia em Santa Cruz do Sul. Eles se estabeleceram na cidade a convite do intendente Gaspar Bartholomay, em 1920. Especialistas em construção de pontes de pedra em arco, executaram as antigas travessias na estrada entre Santa Cruz e a então Villa Thereza (hoje Vera Cruz). 

Os dois eram funcionários da Prefeitura e adotaram Santa Cruz para viver. Trabalharam em projetos que envolviam o manejo de blocos de pedras e realizaram várias obras particulares. Dentre elas, os familiares registram a construção do Muro dos Tatsch, na subida da Rua Marechal Floriano.

Na setor público, projetaram as pontes para Vera Cruz e outras no interior, ainda em uso. Realizaram a ampliação da antiga hidráulica do Parque da Gruta e o reservatório de água nos altos da Rua Marechal Deodoro (ao lado do Cemitério Católico). A Gruta da Coquinha, na Praça da Bandeira, e o jazigo da família Hennig, no Cemitério Municipal, foram obras de Gil.


Jesus Gil e sua esposa Rosa em evento social

Lino Garcia foi casado com Leopoldina Dockhorn Garcia. Eles tiveram 11 filhos (dois homens e nove mulheres). Eles residiam na Rua Gaspar Bartholomay esquina com a Castro Alves. Ali ainda existe o “sobrado dos Garcia”, que Lino construiu com os filhos. Os últimos anos de sua vida, passou no sítio que possuía em Rincão da Serra.
Jesus Gil morava na Rua Ernesto Alves, 429, e era casado com Rosa Mayora Gil. Eles tiveram oito filhos (quatro homens e quatro mulheres).

LEIA MAIS: Espanhóis (I)

Depois de alguns anos, os dois recepcionaram a família de Henrique Fernandes, que também era espanhol e construtor. Este se estabeleceu na Rua Gaspar Bartholomay, esquina em frente aos Garcia (atual loja Stadtcar). 

As famílias foram muito amigas. Daniel Garcia (filho de Lino) casou-se com Nelly Fernandes (filha de Henrique). O casal morou por vários anos no velho sobrado que era uma referência no Bairro Senai.