Realização de sonhos

24/08/2020 22:15:21
Foto: Reprodução

Num dos encontros de mentoria de educação financeira, promovida recentemente pela DSOP Educação Financeira, o assunto proposto eram os sonhos. Alguém poderia perguntar: o que os sonhos tem a ver com a situação financeira das pessoas e famílias?

A metodologia da DSOP Educação Financeira é baseada em quatro pilares ou passos – diagnosticar (apurar a situação financeira em algum momento), sonhar, orçar e poupar. Levantar a situação financeira (diagnosticar), fazer um orçamento e poupar são procedimentos fundamentais, descritos e recomendados por inúmeros especialistas em finanças pessoais, mas sonhar, não. Muitas pessoas questionam o passo “sonhar”, alegando que a pessoa que quer alguma coisa não sonha, ela simplesmente entra em ação, fazendo o que é necessário para alcançar seu objetivo ou meta. É mais ou menos como diz a letra de uma música: “quem sabe, faz a hora, não espera acontecer”. Existem, também, aquelas pessoas muito atrapalhadas com suas finanças ou até endividadas e que não conseguem pagar nem as contas básicas; os sonhos não fazem parte de suas vidas. Parece que estão conformadas e desistiram de sonhar com alguma coisa melhor.

Crianças tem muitos desejos e sonhos. Pergunte a qualquer uma delas: elas sabem na ponta da língua o que gostariam de ter hoje e no futuro, inclusive como atividade profissional. Infelizmente, por desconhecerem o efeito nocivo na mente de uma pessoa ainda em formação, muitos pais ou responsáveis repreendem, podam ou até ridicularizam a manifestação de sonhos por seus filhos, com frases do tipo “isso não é pra nós ou pra ti”. Talvez por causa disso e, principalmente, com o avanço da idade adulta em que as ocupações com os afazeres, rotinas, compromissos, trabalho e outras atividades, que os sonhos se perdem.

Acreditando na força e importância dos sonhos, imprescindíveis até nas finanças pessoais e familiares, o PhD em educação financeira e mentor Reinaldo Domingos, incluiu em sua metodologia DSOP o passo “sonhar”. Reinaldo crê e repete que os sonhos mantém as pessoas vivas e as faz ter atitudes necessárias para a sua realização. No conceito de Reinaldo Domingos, “o sonho é um agente motivador que nos mostra o caminho e o verdadeiro sentido da vida e, com ele, nos sentimos empoderados para realizá-lo.”

Na metodologia da DSOP Educação Financeira, a recomendação é que as pessoas trabalhem com vários sonhos, às vezes desdobrados em metas menores, simultaneamente, para realização em curto prazo (até um ano), médio prazo (de um ano até dez anos) e em longo prazo (mais de dez anos). Mas, para que esses sonhos se tornem realidade, é preciso responder a um conjunto de perguntas que, uma vez conscientes, provocarão a atitude de sair da inércia ou da zona de conforto, em que muitos possam estar:
1) Qual é o sonho? Comprar uma casa, um carro, uma moto; iniciar um negócio; quitar as dívidas; casar; fazer uma faculdade, uma especialização, uma pós, um doutorado; realizar uma viagem para algum lugar especial; etc
2) quanto custa esse sonho? Buscar informações detalhadas e cotar preços, não poupando ferramentas de pesquisas, como internet, jornais, conversar com pessoas que podem fornecer informações importantes;
3) quando quer realizar o sonho? Definir uma data em que pretende alcançar o objetivo;
4) quanto é preciso poupar por mês para dar de entrada ou pagar integralmente?
5) de onde tirar esse valor que vai ser poupado? Reduzir, substituir ou eliminar algum item específico do orçamento; obter alguma renda extra; solicitar um empréstimo financeiro.

Os sonhos são pessoais, intransferíveis. Pais podem acalentar sonhos em relação a seus filhos, mas não podem sonhar o sonho dos filhos. Nos relacionamentos, a primeira consequência da falta de sonhos comuns é a inexistência de objetivos comuns, de prioridades. Um sonha com um carro novo, o outro com uma viagem para a Europa. Se cada um sonhar sozinho, a relação e as finanças ficam no prejuízo.

De fato, tudo começa com um sonho. Na verdade, os sonhadores criam o mundo. Tudo que vemos, tocamos, ouvimos, cheiramos, usamos ou comemos era, em algum momento, invisível para todos, exceto para um sonhador. Em finanças pessoais, também, sonhar é positivo e ajuda na realização ou na obtenção de determinado objetivo que, geralmente, requer algum dinheiro. Qualquer que seja o sonho não é preciso esperar até ser sorteado na Mega-Sena para realizá-lo. Com algum esforço e um consistente planejamento financeiro, a realização de qualquer sonho torna-se possível e fica mais fácil.

Postado por
Gazeta Grupo de Comunicações
Rua Ramiro Barcelos, 1206 | Santa Cruz do Sul - RS
(51) 3715-7800 | portal@gaz.com.br
Desenvolvido e Mantido por
Equipe de TI Gazeta Grupo de Comunicações