CHINA 26/01/2020 15h09 Atualizado às 18h17

Wuhan estima outros 1.000 casos confirmados de coronavírus

Hong Kong vai proibir a entrada de pessoas que visitaram a província de Hubei

O prefeito da cidade chinesa de Wuhan — epicentro do surto de coronavírus —, Zhou Xianwang, disse neste domingo, 26, em uma coletiva de imprensa que estima que os especialistas deverão confirmar outros cerca de mil casos suspeitos de infecção que estão sob monitoramento. Até agora, a grande maioria dos casos confirmados na China continental está em Wuhan e nos arredores. De acordo com dados oficiais divulgados neste domingo, a China continental está com cerca de 2 mil pessoas infectadas e ao menos 56 pessoas morreram. Zhou disse que mais de cinco milhões de pessoas já deixaram Wuhan, permanecendo cerca de nove milhões.

O governo central também enviou uma mensagem neste domingo ao resto do país, de que está substituindo as autoridades locais em Hubei — província onde fica Wuhan —, cuja reação lenta ao surto atraiu críticas. A mídia estatal informou que o primeiro-ministro Li Keqiang foi encarregado do novo “pequeno grupo principal” de altos funcionários do Partido Comunista que está direcionando a resposta ao vírus em todo o país. De acordo com a agência de notícias oficial da China, Xinhua, o grupo planeja enviar uma equipe para Hubei para liderar os esforços no terreno.

LEIA MAIS: Coronavírus: OMS diz que é cedo para emergência global

Para conter vírus, Hong Kong proibirá entrada de pessoas que visitaram Hubei

O governo local de Hong Kong proibirá a partir da meia-noite desta segunda-feira (27) a entrada de pessoas que visitaram Hubei, província onde está localizada a cidade chinesa de Wuhai, nas últimas duas semanas, em um esforço para restringir a propagação do vírus. Hong Kong confirmou seis casos do vírus, todos pacientes que viveram ou visitaram recentemente Wuhan, em Hubei.

Fonte: Dow Jones Newswires

LEIA MAIS:
Governo descarta epidemia de coronavírus, mas está alerta
Secretaria Estadual da Saúde divulga orientações sobre o coronavírus