TRIBUNA 20/09/2020 16h21

Sem surpresa

Já era sabido entre os integrantes do PSDB que havia uma maioria consolidada favorável à aliança com o PTB quando a convenção começou

Apesar do extenso debate e dos discursos inflamados, já era sabido entre os integrantes do PSDB que havia uma maioria consolidada favorável à aliança com o PTB quando a convenção começou. Dias antes, dois terços dos convencionais estavam decididos a votar nesse sentido.

Plano B
Apesar disso, até sair o resultado da votação tucana, havia dúvidas no PTB quanto a qual seria a posição do partido. Quando a notícia chegou, o presidente Marco Borba, o ex-deputado Sérgio Moraes e os deputados Kelly Moraes e Marcelo Moraes tentavam convencer a advogada Nicole Weber, que é candidata a vereadora, a ser vice de Mathias Bertram.

Cartada final
Horas antes de ser confirmado como vice do PTB, o presidente do PSDB, César Cechinato, ainda esteve reunido com representantes do grupo governista. A proposta era para que ele fosse vice da chapa e ainda indicasse quem gostaria que concorresse a prefeito.

Meu nome é Enéas
Embora estivesse disposto a concorrer com chapa pura, o PTB teria menos de 20 segundos de televisão não fosse a coligação com o PSDB.

O retorno
Após retirar sua pré-candidatura a prefeito durante a convenção do PSD, o ex-secretário Régis de Oliveira Júnior foi convidado para ser coordenador de campanha da chapa Jaqueline Marques/Ido Dupont. Ele também foi chamado pelo prefeito Telmo Kirst para retornar ao secretariado.

Saquei
Questionado pela coluna se foi surpreendido pela rejeição dos partidos à sua candidatura, Régis alegou: “Nunca disse que eu seria o candidato. Coloquei o nome à disposição”, falou.

Na mesa
Na prática, os partidos haviam deixado bem clara a posição em uma reunião no sábado anterior, na residência do presidente do DEM, Zeno Assmann.

À distância
Embora sua posição tenha sido decisiva na definição da chapa governista, o prefeito Telmo Kirst não esteve na convenção do PSD.

Fora do páreo
A vereadora Solange Finger (PSD) não irá concorrer à reeleição. À coluna, ela alegou que tomou a decisão por conta de questões familiares.

LEIA MAIS COLUNAS DE PEDRO GARCIA