Tribuna 20/12/2020 16h14

Retaguarda

O grupo da prefeita eleita está confiante de que chegará ao Palacinho com 12 vereadores em sua base de apoio

Sem anunciar novos nomes para o futuro secretariado, Helena Hermany (PP) dedicou os últimos dias a uma série de conversas com vistas a compor uma maioria na Câmara de Vereadores. O grupo da prefeita eleita está confiante de que chegará ao Palacinho com 12 vereadores em sua base de apoio. Além do PDT, que já ingressou formalmente no governo, os progressistas miram bancadas como a do PSD, Republicanos, MDB e PSDB.

Melhor sobrar
Embora a maioria no Legislativo exija apenas nove votos, Helena está empenhada em obter uma folga que não lhe coloque em apuros em votações polêmicas. Ela, porém, tem dito que nem todos os partidos que integrarem a bancada governista vão, necessariamente, estar representados no primeiro escalão.

Antes da ceia
Os anúncios de secretários devem ser retomados nesta segunda-feria. A ideia é concluir a escalação do time – que já está todo definido – até o Natal.

A bom termo
Avançaram as conversas para a implantação de um rodízio pluripartidário na presidência da Câmara nos próximos quatro anos. Uma reunião na próxima semana deve definir os últimos detalhes do acordo. A coluna apurou que já há um consenso entre as cinco maiores bancadas (PP, PTB, PSD, Republicanos e PSDB): uma delas abrirá mão de indicar o presidente e, em contrapartida, ocupará duas vezes a vice-presidência. O que resta agora é bater o martelo sobre quem comandará a Casa no primeiro ano – PP ou PTB.

Sem moleza
Durante a reunião entre os vereadores que vão debutar na Câmara de Santa Cruz no próximos anos, Cléber Pereira (DEM) propôs aos demais que o recesso parlamentar seja suspenso para os estreantes. A Câmara entra em recesso na próxima quarta-feira e só retorna em 1º de fevereiro. “Sei que o recesso é legal, mas acredito não ser justo sermos empossados no dia 1º de janeiro e já termos 30 dias de inatividade”, alegou.

Peneira
Primeiro vereador da história da Câmara a abrir processo seletivo público para escolher sua assessoria, Leonel Garibaldi (Novo) recebeu inscrições de 230 pessoas. Destes, 14 foram aprovados para a segunda etapa, que consiste em entrevista.

LEIA MAIS COLUNAS DE PEDRO GARCIA