Santa Cruz 01/03/2021 08h26

Fim de semana de lockdown tem 353 denúncias

No total, 420 pessoas foram abordadas entre sexta-feira e a noite de domingo

Nas primeiras horas de lockdown em Santa Cruz do Sul, a maioria dos estabelecimentos e bares respeitou as restrições impostas pelo decreto municipal que determinou o fechamento de diversas atividades das 20 horas de sexta-feira às 5 horas desta segunda-feira, 1º. A medida tomada pela prefeita Helena Hermany fez-se necessária perante o agravamento da pandemia no município e na região, e o crescimento da demanda de leitos clínicos e UTIs.

Uma força-tarefa de fiscalização foi montada com integrantes da Guarda Municipal, Vigilância Sanitária, Fiscalização de Trânsito, Defesa Civil, Brigada Militar, Corpo de Bombeiros e IGP para garantir que as normas fossem cumpridas. Na sexta-feira, às 20 horas, um grupo de 50 representantes desses órgãos saíram às ruas em 19 viaturas.

LEIA MAIS: Nas ruas de Santa Cruz, fim de semana foi de pouco movimento

O secretário municipal de Segurança, Transporte e Mobilidade Urbana, coronel Everton Oltramari, avaliou o lockdown como positivo. “Em linhas gerais, pode-se dizer que a comunidade de Santa Cruz compreendeu o momento de gravidade. Tivemos pouca circulação de pessoas, principalmente à noite. Registramos apenas um caso pontual de uma festa clandestina na sexta-feira à noite, com 14 pessoas”, comentou.

A maior dificuldade, segundo ele, ocorreu no comércio durante a manhã de sábado. “Muitos proprietários estavam com dúvidas se seus estabelecimentos eram essenciais ou não e acabaram abrindo, dai tivemos que orientar para fechar.”Apesar da rigorosa fiscalização, infrações administrativas constatadas em vários estabelecimentos resultaram em multas, que variam de R$ 300 a R$ 3 mil, dependendo do tipo de irregularidade, como explica Oltramari. “Depende muito da situação. Em alguns casos pode ainda haver outras medidas, como a cassação de alvará ou interdição do estabelecimento, em caso de reincidência. Há várias punições na esfera administrativa, no entanto, não houve a necessidade de interdição de nenhum estabelecimento, apenas a aplicação de auto de infração e a determinação para fechar o estabelecimento naquele momento”, esclareceu o secretário municipal de Segurança.

LEIA MAIS: 
Após lockdown, seguem as regras da bandeira preta em Santa Cruz; veja quais são
Primeira noite de lockdown em Santa Cruz tem festa clandestina e pessoas na rua

Números
A força-tarefa de fiscalização recebeu 353 denúncias, no período das 20 horas de sexta-feira até as 20 horas de domingo.

Foram realizadas 147 vistorias em estabelecimentos.

No total, 420 pessoas foram abordadas.

Vera Cruz teve festa clandestina e até rodeio
Em Vera Cruz, também houve lockdown no fim de semana. Uma força-tarefa foi montada com integrantes da Vigilância Sanitária e Guarda Municipal, com o apoio da Brigada Militar. Além de abordar pessoas, vistoriar veículos e estabelecimentos, os fiscais tiveram que encerrar dois eventos clandestinos – uma festa realizada na noite de sábado na localidade de Entre Rios, com cerca de 20 pessoas, e um pequeno rodeio crioulo na tarde de domingo, no Bairro São Francisco. Além disso, alguns bares do interior foram flagrados com funcionamento normal de suas atividades.

A secretária de Saúde, Clair Tornquist, que acompanhou a fiscalização, ressalta que muitas pessoas ainda não compreenderam a gravidade da situação. “Foram feitas abordagens onde se percebeu que as pessoas ainda não tomaram consciência da gravidade da situação, algumas estavam sem máscara de proteção. Em alguns estabelecimentos, também tivemos que orientar sobre o processo de entrega e telentrega de produtos, para evitar aglomerações. Mas, no fim, todos nos acolheram muito bem e atenderam ao nosso pedido”, explica.

Nesta segunda, a fiscalização seguirá orientando as pessoas em filas de agências bancárias e mercados, na tentativa de aumentar a conscientização.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS