Alerta 01/03/2021 09h20

Situação dos hospitais se agrava e risco é de colapso

Ocupação em leitos de UTIs já é de 96,4% e utilização de respiradores chegou a 66,3% em 229 instituições gaúchas

Os números de internações por Covid-19 no Rio Grande do Sul crescem em nível alarmante. Em muitos hospitais os leitos já estão no limite, enquanto em outros há superlotação. A evolução da doença indica que o Estado pode estar próximo de um colapso do sistema de saúde.

Segundo dados do painel de monitoramento do governo gaúcho, registrados em 229 hospitais na tarde de domingo, 28, a ocupação em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) chegou a 96,4%, enquanto o uso de respiradores era de 66,3%.

LEIA MAIS: VÍDEO: sem leitos disponíveis, direção do São Sebastião Mártir faz apelo à comunidade

Em Santa Cruz do Sul, a ocupação até o início da tarde nos dois hospitais era de 105,4%. No total, 37 leitos de UTI e 31 de Covid-19 fora de UTI (119,4%) estavam lotados. Já o uso de respiradores em UTI encontrava-se em 91,9%, com 37 equipamentos em uso. No Hospital Ana Nery havia 11 pacientes na UTI Covid e 16 internados na área clínica. Já no Hospital Santa Cruz, os 15 leitos de UTI Covid estavam ocupados e cinco pacientes aguardavam por uma vaga. O estoque de oxigênio em ambos os hospitais não foi comprometido.

Já na manhã desta segunda-feira, 1º, a taxa era de 110,8% nos 37 leitos de UTI e 116,1% nos 31 de Covid-19 fora de UTI. O Uso de respiradores estava em 97,3%, mas como mais cinco aparelhos chegam nesta segunda, este número tende a diminuir.

LEIA MAIS: Hospitais de Santa Cruz ingressam na fase quatro do contingenciamento

Em Venâncio Aires, a ocupação está plena. São 22 pacientes internados com Covid e 17 em UTI. Outros sete estavam na sala de emergência (destes, cinco para UTI e dois para internação em leito clínico). A emergência do hospital permanece fechada devido ao alto volume de atendimentos.

Segundo o presidente do Hospital São Sebastião Mártir (HSSM), Luciano Spies, somente os casos mais graves são atendidos. Os demais são encaminhados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). “A orientação é que mesmo aqueles que sentem falta de ar ou precisam consultar com o médico devem ir à UPA. O atendimento é realizado 24 horas por dia, por dois médicos. Após a análise clínica do paciente, se o médico achar que se trata de um caso grave e necessita de internação, ele fará a referência para o hospital”, explica.

LEIA TAMBÉM: Hospital Santa Cruz restringe ainda mais os atendimentos

A partir desta segunda, entra em atividade o Centro de Atendimento Respiratório (CAR) em Venâncio. A estrutura específica para atendimentos de Covid-19 vai funcionar junto à UPA do Bairro Cruzeiro. O objetivo é dividir os atendimentos com o CAR do Bairro Gressler e oferecer mais médicos e enfermeiros, assim como profissionais especializados na testagem de pacientes.

Em Lajeado, no Vale do Taquari, com o agravamento da crise sanitária, o índice de internados é alto. No Hospital Bruno Born (HBB), o percentual de ocupação somente na UTI Covid é de 122%, com todos os 27 leitos já ocupados.

Na internação Covid, dos 40 leitos 33 estão ocupados (80%). Cinco pacientes estavam na sala de observação, e o espaço tem capacidade apenas para oito leitos. A média de idade dos internados é de 57 anos, a maioria homens (64,8%).

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS