SANTA CRUZ 13/05/2020 17h50 Atualizado às 22h42

Alunos da rede municipal começam a receber materiais para estudar em casa

Atividades serão enviadas por WhatsApp, mas distribuição de materiais impressos evita prejuízos aos estudantes sem acesso à internet

Conforme orientação do Conselho Nacional de Educação (CNE), que autoriza a oferta de atividades não presenciais em todas as etapas de ensino, desde a educação infantil até o ensino superior, a Secretaria Municipal de Educação (SEE), de Santa Cruz do Sul, iniciou esta semana o atendimento aos estudantes das 45 escolas da rede municipal e do Núcleo Municipal de Educação de Jovens e Adultos (Cemeja).

As atividades estão sendo oferecidas por meios digitais, através de plataformas como o WhatsApp. Há também com a distribuição de materiais pedagógicos impressos, que evita prejuízo a estudantes da zona urbana que não dispõem de acesso à internet. Já no interior, onde problemas com o sinal são recorrentes, vai predominar a modalidade de distribuição de materiais impressos, que poderão ser retirados na escola, mediante agendamento, ou, nas localidades mais distantes, entregues pela própria secretaria.

LEIA MAIS: Rede municipal da região inicia aulas a distância

Na Escola Municipal de Ensino Fundamental Guido Herberts, no Bairro Várzea, no decorrer desta quarta-feira, 13, pais foram até o local retirar os materiais. A diretora Lucênia Pohlmann explicou que as atividades serão encaminhadas por WhattsApp sempre nas terças-feiras, valendo até a segunda-feira seguinte. “O novo sempre assusta, mas o retorno está sendo bem positivo, pais já nos encaminharam fotos dos filhos em atividade. Os alunos estão interagindo e dando retorno”, comemorou ela.

Conforme o planejamento das atividades, nos turnos em que ocorreriam as aulas presenciais, os professores permanecerão à disposição dos alunos, interagindo no ambiente virtual. Atividades que requeiram avaliação dos professores serão entregues quando as aulas voltarem à normalidade.

Desde o mês de abril, a SEE e equipes técnicas das escolas municipais já vinham se reunindo para formatar um modelo de ensino à distância que permitisse acesso universal aos estudantes da rede. Com o decreto governamental mantendo as aulas suspensas em todo o Estado e o parecer do CNE, que determina como devem ser as atividades não presenciais, definiu-se um Plano de Ação para o setor.

LEIA MAIS: Alunos estão preocupados com as consequências da paralisação

De acordo com a secretária municipal de Educação, Juliana Bach, as escolas darão continuidade à distribuição dos materiais pedagógicos até sexta-feira. “Nenhum aluno da rede deve ficar sem ter acesso às atividades. Essa é a nossa grande preocupação neste momento, além de oferecer a continuidade de um ensino público de qualidade, com seriedade e comprometimento, para que os alunos realmente aprendam, porque esse é o objetivo da escola”, disse ela.

No caso das escolas municipais de educação infantil, a oferta de atividades não presenciais não é obrigatória, porém as instituições também farão uso do WhattsApp, encaminhando sugestões de atividades a serem implementadas pelos pais com seus filhos. As escolas também estarão de portas abertas para a retirada de materiais didáticos, mediante agendamento de horário.

LEIA TAMBÉM: Escolinhas de Santa Cruz buscam novas formas de interação

Ainda segundo o CNE, a decisão final sobre como ficará o calendário escolar deste ano caberá a estados, municípios, instituições de ensino superior e escolas da rede privada.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS