Economia 06/04/2021 07h18

Auxílio começa a ser pago nesta terça, mas alcance será menor

O depósito desta terça será para nascidos em janeiro. Depois, os repasses seguirão a ordem da data de nascimento dos beneficiários

Em meio à crise econômica desencadeada pela pandemia, o governo federal começa a pagar nesta terça-feira, 6, a nova rodada do auxílio emergencial. A expectativa é de que, a exemplo do ano passado, o benefício represente um alívio tanto para as famílias quanto para os setores de comércio e serviços, ainda que desta vez o valor seja bem menor e alcance menos pessoas.

O depósito desta terça será para nascidos em janeiro. Depois, os repasses seguirão a ordem da data de nascimento dos beneficiários. Já para quem recebe Bolsa Família, o primeiro pagamento será no dia 16 e os repasses ocorrerão de acordo com o calendário do programa. De acordo com o Portal da Transparência, em 2020 mais de 27,5 mil pessoas receberam o auxílio em Santa Cruz do Sul, o que representa pouco menos de um quarto da população.

LEIA MAIS: Quem vai receber a nova rodada do auxílio emergencial? Tire suas dúvidas

Já nesta segunda rodada, ainda que comece no momento em que a crise está mais aguda em função das restrições mais severas de circulação adotadas desde março, por causa da escalada nas internações por Covid-19, o contingente de beneficiários deve ser bem inferior. Diferentemente da primeira edição, quando até dois membros da mesma família podiam receber o auxílio, as regras de 2021 só preveem o pagamento a uma pessoa por lar. Além disso, o valor máximo das parcelas, que no ano passado era de R$ 1,2 mil, agora será de R$ 375,00. Os repasses só vão alcançar pessoas que estavam na lista de beneficiados em dezembro – ou seja, quem entrou em situação de vulnerabilidade de janeiro para cá não será contemplado.

Enquanto no ano passado a União destinou R$ 293,9 bilhões e atendeu 68 milhões de pessoas, neste ano o teto previsto é de R$ 44 bilhões (15%) e a projeção é beneficiar 46,6 milhões (68%).

LEIA MAIS: Maioria vai receber R$ 150,00 do novo auxílio emergencial

Se o encolhimento do alcance do auxílio for nessa proporção em Santa Cruz, seriam atendidas em torno de 18,7 mil pessoas e o valor injetado na economia local, que no ano passado foi de R$ 113,9 milhões, ficaria em pouco mais de R$ 17 milhões.

As principais dúvidas
Como saber se posso receber o auxílio emergencial?
Para conferir se está apto a receber o benefício este ano, basta acessar o site do Dataprev (consultaauxilio.cidadania.gov.br) e preencher o CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento. Outra opção é acessar auxilio.caixa.gov.br, clicar em “Acompanhe o seu Benefício” e preencher os mesmos dados. Ainda é possível ligar para o número 111, escolher a opção 1 e digitar o número do CPF.

Ainda posso solicitar o benefício?
Não. O governo não abriu inscrições para a segunda rodada do auxílio emergencial. Somente poderão receber os que estavam na lista de beneficiários em dezembro.

LEIA MAIS: Pagamento do auxílio emergencial recomeça na próxima semana; confira calendário

Quantas parcelas serão e qual será o valor?
Serão pagas quatro parcelas mensais (abril, maio, junho e julho), com valor padrão de R$ 250,00. Já pessoas que moram sozinhas receberão R$ 150,00, enquanto mulheres chefes de família terão direito a R$ 375,00.

Como será o pagamento?
Os pagamentos serão feitos de acordo com a data de nascimento dos beneficiários. A primeira parcela será repassada hoje para quem nasceu em janeiro. Para os demais, os repasses serão nos dias 9, 11, 13, 14, 18, 20, 22, 25, 27, 29 e 30. Para movimentar os valores, será preciso acessar o aplicativo Caixa TEM. Assim como no ano passado, primeiro será liberada a movimentação digital e, em um segundo momento, os saques. Quem receber a primeira parcela hoje, por exemplo, só poderá sacar no dia 4 de maio.

Como será o pagamento para quem recebe Bolsa Família?
Os repasses para esse público começam no dia 16 e ocorrerão da mesma forma como é feito no programa. O calendário será o mesmo do Bolsa Família, sempre nos últimos dez dias úteis de cada mês.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS


MAIS LIDAS