CACHOEIRA DO SUL 10/02/2019 09h09

Marinha vai investigar responsabilidade de pai que deixou criança pilotar lancha

Um vídeo gravado pelo pai, que mostra o menino conduzindo a lancha pelo Rio Jacuí, gerou preocupação em grupos de WhatsApp da região

Em nota à imprensa divulgada nessa sexta-feira, 8, a Marinha do Brasil informou que abriu um procedimento administrativo para investigar o caso do advogado que deixou o filho, de apenas 4 anos, pilotar uma embarcação em Cachoeira do Sul. Um vídeo gravado pelo pai, que mostra o menino conduzindo a lancha pelo Rio Jacuí, gerou preocupação em grupos de WhatsApp da região. As imagens teriam sido registradas no último dia 3, e postadas pelo responsável em outra rede social. 

LEIA MAIS: Caso de criança pilotando lancha causa preocupação

No registro, o menor aparece no controle do barco, ao lado de familiares. Pela lei, contudo, apenas maiores de 18 anos, devidamente habilitados, podem conduzir veículos aquáticos. Procurado pela Gazeta do Sul na semana passada, o pai do menino, que tem o nome preservado pela reportagem em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), afirmou que filho não corria riscos pois usava colete salva-vidas e estava ao lado do avô, que possui habilitação marítima e seria o piloto da lancha. 

Confira a nota da Marinha na íntegra:

A Capitania Fluvial de Porto Alegre (CFPA) - Marinha do Brasil - tomou conhecimento, por meio de notícia  veiculada na imprensa local,  que um menor de idade teria assumido o controle de uma embarcação no Rio Jacuí, na cidade de Cachoeira do Sul-RS, acompanhado de familiares, colocando em risco a segurança da navegação, bem como a vida humana naquele local. 

Em decorrência, a Marinha do Brasil, por intermédio da CFPA, nos limites de sua competência legal, abriu procedimento administrativo para apurar os fatos e eventuais responsabilidades.