Balanço 08/07/2019 11h30 Atualizado às 12h04

Número de mortes em acidentes de trânsito cai 35% na região

Na RSC-287, o trecho de maior perigo é junto ao trevo em Venâncio Aires

O primeiro semestre de 2019 registrou uma redução no número de mortes em acidentes de trânsito nas rodovias do Vale do Rio Pardo em comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo dados do Comando Rodoviário da Brigada Militar, houve 35% menos mortes em acidentes neste ano na região. Em 2018 foram 17 mortes frente a 11 nos seis primeiros meses deste ano.

Conforme o comandante do 1º Pelotão Rodoviário em Santa Cruz, sargento Railander Negrini, apesar de impactante, as estatísticas já foram piores. Historicamente, entre as causas mais comuns de acidentes com morte estão a desatenção do motorista e excesso de velocidade. "Intensificamos o uso do radar móvel e procuramos direcionar nos pontos mais críticos, onde aconteciam mais acidentes, para ver se conseguíamos diminuir os números, e o resultado foi bom. Também aumentamos o tempo de fiscalização", comenta Railander.

Já o número de feridos em acidentes teve aumento, passando de 49 em 2018 para 68 em 2019. "O número de acidentes foi o mesmo (33 em cada ano), mas tivemos um aumento em acidentes com lesões corporais, que chegou a 38%". Os autos de infração também aumentaram 15%.

A maioria dos acidentes ocorreu em rodovias estaduais, principalmente na saída de estradas vicinais ou em trevos. Os acidentes com maior gravidade são, conforme Railander, os cometidos onde a ultrapassagem é proibida. Na RSC-287, o trecho de maior perigo é junto ao trevo em Venâncio Aires. "Inclusive há mais de anos estamos usando o radar no local porque lá a velocidade é 60 quilômetros por hora e é um ponto que ainda continua dando bastante acidente com lesões", avalia o comandante.

O primeiro 1º Pelotão Rodoviário da Brigada Militar, sediado em Santa Cruz do Sul, é responsável pela fiscalização em 17 rodovias, localizadas em 13 municípios.