Investigação concluída 20/11/2019 12h03 Atualizado às 14h23

Jovem é presa por suspeita de planejar a morte do pai do próprio filho

A mulher, que tem um filho com a vítima, teria planejado e coordenado o assassinato de Tiago Aliandro Kohlrausch junto com o atual companheiro

A 2ª Delegacia de Polícia de Santa Cruz do Sul concluiu nesta semana o inquérito que apurou a morte do mecânico Tiago Aliandro Kohlrausch, assassinado na garagem de casa no último dia 23 de setembro. Nessa segunda-feira, uma jovem de 19 anos, mãe do filho da vítima, foi presa preventivamente. O companheiro dela e padrasto da criança, um advogado 31 anos, já havia sido capturado no início deste mês. Juntos, eles teriam planejado e coordenado o assassinato de Tiago. A motivação do crime, conforme o delegado Alessander Zucuni Garcia, foi afastar o pai biológico da criança.

LEIA MAIS: Assassinato no Motocross teria sido para afastar pai e filho

“Eu havia interrogado ela naquela primeiro momento e ela negou participação (no crime). A prisão foi decretada em função de que havia risco concreto de ela intervir na colheita de provas”, detalhou Garcia. De acordo com ele, a jovem e o advogado, que não tiveram os nomes divulgados pela Polícia Civil para proteger a identidade criança, foram indiciados por homicídio qualificado com as qualificadoras de motivo torpe, utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima e emprego de meio cruel. 

Durante o cumprimento do mandado de prisão do advogado, no último dia 1º, o tio-avô da criança, de 51 anos, também foi capturado. Ele estava na posse de duas armas e seria, na época do crime, o dono do veículo utilizado pelos matadores para ir até a casa de Tiago. O veículo foi encontrado pela polícia em Salto do Jacuí. Conforme o delegado, o homem foi indiciado por homicídio qualificado, com as qualificadoras de utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima e emprego de meio cruel. 

Executores ainda não foram identificados 
No dia em que o advogado e o tio-avô da criança foram presos, o delegado Alessander Zucuni Garcia afirmou que o plano para matar Tiago foi muito bem arquitetado. Segundo dele, o padrasto da criança apresentou até uma nota fiscal de supermercado para comprovar onde estava na hora do crime, o que foi considerado uma atitude suspeita, já que não é comum deixar um nota simples guardada por tanto tempo. Embora o advogado e a jovem tenham planejado o crime, outras pessoas teriam disparado contra a vítima. Conforme o delegado, os executores ainda não foram identificados. “Há indícios de que teriam sido dois homens, que vieram de fora da cidade, mas ainda não temos suspeitos”, explicou. 

Relembre o caso 
Mecânico concursado da Prefeitura e pai de um bebê com pouco mais de um ano, Tiago Aliandro Kohlrausch, 30, tornou-se vítima da violência em Santa Cruz do Sul. Atingido por pelo menos dez tiros, ele morreu na garagem de casa, na Rua Walder Rude Kipper, situada no loteamento Motocross, no Bairro Arroio Grande. O homicídio aconteceu por volta das 20 horas de uma segunda-feira, 23 de setembro de 2019. 

Segundo informações colhidas pela Polícia Civil e Brigada Militar, a namorada de Tiago estava no banho quando escutou barulhos que vinham do lado de fora da casa. Quando saiu, encontrou o namorado morto, caído ao lado do Omega Suprema que estava estacionado na garagem. Os peritos recolheram no local 12 estojos deflagrados de pistola calibre 380, o que indica o número de tiros disparados.

Tiago teria tido um relacionamento casual que resultou em um filho, atualmente com pouco mais de um ano. Após confirmação da paternidade por meio de exame de DNA, ele começou a pagar pensão e visitar a criança regularmente. No entanto, quando a mãe da criança começou a namorar o advogado, no primeiro semestre deste ano, o clima entre todos ficou pesado. Antes de ser morto, Tiago teria sido alvo de uma série de ameaças por parte do casal. 

LEIA MAIS: Homem é morto a tiros no loteamento Motocross