Vale do Rio Pardo 29/07/2020 15h55 Atualizado às 16h49

Brigada Militar alerta para golpe envolvendo troca de fotos íntimas

Após troca de mensagens pelas redes sociais, estelionatário sugere compartilhamento de imagens íntimas e passa a fazer ameaças e extorsões

A Brigada Militar, por meio do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Rio Pardo (CRPO VRP), informou nesta quarta-feira, 29, sobre um golpe que está sendo aplicado na região do Vale do Rio Pardo. Já há registros de casos no interior de Santa Cruz do Sul, bem como em outras localidades e municípios.

Segundo a BM, tudo inicia com um convite de amizade e conversas por meio de redes sociais, ligação telefônica ou aplicativos de mensagens eletrônicas como o WhatsApp. O estelionatário sugere a troca de fotografias com imagens íntimas e, após o momento de posse das imagens, passa a fazer as ameaças e extorsões. Em alguns casos, o estelionatário afirma que a pessoa será processada ou presa.

LEIA MAIS: Suicídio pode ter relação com golpe

Outra tática dos criminosos, conforme a Brigada Militar, refere-se a alvos casados. O golpista ameaça expor as fotografias e a troca de mensagens para a esposa da vítima. É uma forma de tentar convencer os alvos a depositarem os valores exigidos.

A Brigada informa, portanto, que se trata de um golpe e alerta para que as vítimas não forneçam dados pessoais nem depositem quantias solicitadas pelos golpistas. A orientação é informar o ocorrido pelo telefone de emergência 190 e efetuar um registro junto ao órgão policial com os dados possíveis destes indivíduos e respectivos contatos telefônicos para investigação.

LEIA MAIS: Golpe do recibo frio faz vítimas entre agricultores

Como não cair no golpe:

Se for vítima de algum golpe ou de tentativa de abordagem desse tipo, procure a polícia e registre ocorrência.

Evite iniciar conversas por meio de aplicativos de mensagens com perfis desconhecidos e/ou prefixos telefônicos desconhecidos.

Não troque fotografias que possam ter conotação íntima por meio de aplicativos como WhatsApp ou Messenger.

Não faça depósitos, transferências ou pagamentos para desconhecidos.

LEIA TAMBÉM: Polícia Civil investiga golpe que envolve aluguel de imóveis em Santa Cruz