Coronavírus 12/05/2020 08h43

Segundo o Estado, não usar máscara é crime

Quem sair de casa sem a proteção está descumprindo medida sanitária preventiva à propagação de doenças contagiosas, crime previsto no Código Penal brasileiro

Desde essa segunda-feira, 11, o uso de máscaras, tanto em ambientes internos (exceto em casa) quanto externos, é obrigatório no Rio Grande do Sul. O dispositivo, que auxilia no controle e busca evitar a transmissão do novo coronavírus, precisa ser incorporado por toda a população. Por estar decretado como obrigatório, o não uso da máscara resulta em crime de descumprimento de medida sanitária preventiva à propagação de doenças contagiosas, previsto no Código Penal brasileiro.

A coordenadora da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), Mariluce Reis, conta que a orientação vale para todos e depende da adesão de todos os cidadãos. “Assim que sair do portão de sua casa, use máscara. E isso vale também para quem se desloca de automóvel. Todos precisam utilizar máscaras”, enfatiza.

LEIA MAIS: Máscaras passam a ser obrigatórias em Santa Cruz

Valendo desde segunda, a determinação precisa ser aplicada a todos os ambiente fora da residência da pessoa. Conforme o governo do Estado, a máscara cria uma barreira física para que qualquer tosse, espirro ou mesmo saliva expelida ao falar não contamine outras pessoas e objetos, reduzindo a possibilidade de propagação. “Precisamos entender que este vírus está aí e pode contaminar a todos. Usar máscara é uma ação individual, mas que exige a adesão coletiva”, complementa Mariluce.

A coordenadora frisa que, no que se refere à fiscalização do uso de máscaras, o Estado irá contar com a participação de todos os gaúchos. “Ainda estamos trabalhando no método de fiscalização, junto aos municípios. No entanto, é importante que um cuide do outro e ajude a fiscalizar o uso de máscara fora de casa”, destaca Mariluce. Por meio de nota, a Prefeitura de Santa Cruz do Sul salientou que durante esta semana as ações de fiscalização serão mais de orientação para uso de máscaras em todos os lugares, exceto dentro das residências dos santacruzenses.

LEIA TAMBÉM: Confirmada primeira morte de morador de Santa Cruz por Covid-19

DÚVIDAS SOBRE A UTILIZAÇÃO
Máscaras cirúrgicas podem ser utilizadas até que fiquem molhadas. Segundo o infectologista santa-cruzense Marcelo Carneiro, a orientação normal da Organização Mundial da Saúde prevê que a máscara seja trocada a cada duas horas. No entanto, em razão da pandemia, ela pode ser usada até que fique molhada. Trabalhadores podem usar durante um turno inteiro; ao retornar do intervalo, o ideal é que se troque a máscara.

Máscaras de pano podem ser usadas durante todo o dia, mas têm a mesma regra da máscara cirúrgica: quando ficam molhadas, precisam ser trocadas. Conforme o infectologista Marcelo Carneiro, quem fala enquanto está de máscara, corre ou caminha, está mais propenso a molhar e ter de trocar a máscara.

Cada vez que se toca na máscara é preciso lavar as mãos, ou usar álcool em gel. A medida evita que a máscara seja contaminada com a sujeira das mãos e, da mesma forma, inibe a possível transmissão do vírus.

Máscaras de pano precisam ser lavadas com água, sabão e só. O infectologista Marcelo Carneiro descarta o uso de outros produtos de limpeza, além do sabão, para lavar a máscara. Quem quiser, para deixar a peça mais alinhada, pode passar com o ferro elétrico, mas este procedimento não é necessário.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS