Causa animal 15/06/2020 15h06 Atualizado às 17h13

ONG se posiciona contra isenção de multa a proprietários de animais resgatados

Cavalo de Lata alerta que resgate de cavalos, por exemplo, tem custo. Sem ônus ao responsável pelo animal, isso teria de ser bancado com recurso público

Integrantes de entidades de proteção animal em Santa Cruz do Sul se mobilizam para evitar a aprovação na Câmara do projeto de lei que prevê isenção de multa para proprietários de animais apreendidos que se apresentarem em prazo de 24 horas após o resgate. De autoria dos vereadores Hildo Ney (PP) e Alex Knak (MDB), a proposta busca corrigir situações em que animais fogem de seus lares por circunstâncias alheias à vontade de seus tutores e esses ficam obrigados a pagar multa e arcar com os custos do transporte.

LEIA MAIS: Proprietário de animal apreendido pode ter isenção de multa caso se apresente em 24 horas

No entanto, uma das voluntárias da ONG Cavalo de Lata, Ana Paula Knak, alerta que, diferente de animais de pequeno porte, como cães e gatos, o resgate de cavalos, por exemplo, envolve uma infraestrutura grande de veículos e pessoal e que, se os donos não forem responsabilizados, o custo recairá sobre o cofres públicos. “É importante que as pessoas entendam que o resgate tem um custo. E se a pessoa não paga o custo, quem paga é a Prefeitura”, disse. Para ela, a alteração na lei também pode desestimular a atuação das entidades protetoras.

LEIA MAIS: Égua é encontrada agonizando no Bairro Santuário