Pandemia 04/08/2020 15h16 Atualizado às 15h54

UTI lotada e falta de medicamentos aumentam preocupação em Venâncio

Nesta segunda-feira, 3, Hospital São Sebastião Mártir emitiu um comunicado e pediu para que população procure atendimento na UPA 24 horas

Os leitos da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital São Sebastião Mártir (HSSM), em Venâncio Aires, estão todos ocupados. Desde essa segunda-feira, 3, não há mais vagas e pacientes em estado grave precisam aguardar por atendimento em uma sala anexa. A situação também é complicada no Pronto Atendimento da instituição. Estes fatos fizeram a direção do hospital emitir um comunicado à população de Venâncio, a fim de direcionar os atendimento para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas.

LEIA MAIS: No primeiro dia de testagem em massa, Venâncio registra 13 novos casos

Comunicado emitido pelo Hospital São Sebastião Mártir às 22h20 dessa segunda-feira, 3


A 13ª Coordenadoria Regional de Saúde está em alerta. Segundo a coordenadora adjunta, Aline Lima, o momento, com casos de contaminação por Covid-19 em crescimento, é complicado. “Há falta de medicação em anestésico. Estamos em contato com alguns hospitais para conseguir a doação desses medicamentos que são essenciais para atendimento”, explica.

De acordo com a coordenadoria, o Hospital São Sebastião Mártir dispõe da medicação só para mais dois dias. Por isso, a Secretaria de Saúde do Estado já acionou outras instituições na região. Entre elas os hospitais Santa Cruz, Regional de Rio Pardo e o de Candelária.

Conforme Aline, uma das medicações que está em falta em Venâncio é o anestésico Atracúrio, um bloqueador neuromuscular, usado como reforço na anestesia geral e utilizado para facilitar a intubação do paciente, além de relaxar a musculatura e ajudar na ventilação.

LEIA MAIS: Cerca de mil testes são aplicados na primeira etapa da pesquisa do Cisvale

Para a coordenadora, apesar da classificação em bandeira laranja, dentro do modelo de distanciamento controlado do Governo do Estado, a região vive o ápice da pandemia. “Estamos no pico da pandemia. O que nos fez entrar na bandeira laranja foi as UTIs da região não estarem tão lotadas e os leitos não estarem tão ocupados. Além disso, temos baixo índices de óbitos, mas essa superlotação da UTI de Venâncio Aires é realmente preocupante”, disse.

Os dados disponibilizados pela Coordenadoria de Saúde apontam que em Venâncio Aires o pico da doença continua com a curva em crescimento. “É uma região que desde o inicio da pandemia teve problemas com os frigoríficos da região de Lajeado. Tem a questão da regulação, pois também recebemos pacientes de outros municípios que vêm de outros hospitais.”

Sobre a superlotação das UTIs, a coordenadora adjunta afirma que alguns pacientes poderão dar entrada no hospital e ficar, num primeiro momento, em uma sala isolada. “Se não tivermos lugar aqui, possivelmente o paciente será encaminhado para outra região, mas sem atendimento ele não vai ficar”, disse.

O HSSM possui 18 leitos de UTI e todos, nesse momento, ocupados. Destes, quatro têm suspeita da Covid-19 e outras síndromes gripais e seis com confirmação da doença.

LEIA MAIS: Pandemia avança rapidamente e números preocupam em Santa Cruz


Risco da bandeira vermelha

De acordo com Aline Lima, para fins de bandeira vermelha, de alto risco em relação ao coronavírus, a situação atual do Vale do Rio Pardo preocupa para esta sexta-feira, 7. Segundo ela, especificamente em Venâncio Aires, os leitos de UTI, desde o dia 27 de julho, estão com taxa de ocupação acima de 70%. Desde então, não mais baixaram desse percentual chegando à superlotação, o que pode interferir diretamente no cálculo da classificação das bandeiras.

Casos em Venâncio

O boletim mais recente, divulgado pela Secretaria de Saúde nesta segunda-feira, às 18h30, registrou 441 casos positivados no município. Há 27 pessoas em recuperação domiciliar, seis internados e oito óbitos. 400 já são considerados recuperados.

LEIA MAIS: Santa Cruz registra quarta morte por coronavírus

Novo decreto altera normas para bares e estabelecimentos essenciais

Novas medidas entram em vigor para bares, lancherias, padarias e restaurantes em Venâncio Aires. Assim como outros estabelecimentos de serviços essenciais também passarão a ter uma limitação maior para enfrentamento da Covid-19. O anúncio foi feito durante live na manhã desta terça-feira, 4, pelo prefeito Giovane Wickert.

O documento, cujas medidas passam a vigorar a partir desta terça-feira, 4, prevê:

  • Obrigatória a utilização do Sistema de Mapeamento Inteligente;
  • É facultada a definição de um tempo limite de permanência dos clientes nos estabelecimentos, favorecendo o acesso a outros;
  • Em caso de fila de espera, a marcação de distanciamento de dois metros entre cada indivíduo deve ser frequente, com um funcionário designado para fazer esse controle;
  • Não será permitido o consumo no local de pessoas em pé;
  • Nas mesas, fica limitado o atendimento de até quatro pessoas simultaneamente e distância mínima de um metro entre as cadeiras sempre que possível;
  • Distanciamento mínimo deve ser de dois metros entre as mesas;
  • Os clientes em atendimento, quando sentados à mesa, poderão retirar as máscaras exclusivamente para a alimentação;
  • A disponibilização de palitos, temperos e utensílios fica limitada ao necessário à utilização em cada atendimento, sem utilização compartilhada;
  • O uso de brinquedotecas é proibido;

Novas medidas de distanciamento entram em vigor nesta terça-feira, 4, no município.

Posted by Prefeitura de Venâncio Aires on Tuesday, August 4, 2020
Novas medidas de distanciamento entram em vigor nesta terça-feira, 4, no município

Para os estabelecimentos de serviços essenciais, exceto de saúde e de consumo de alimentos, e prestadores de serviços fica estabelecida a medida de apenas permitir o ingresso de uma pessoa por família no estabelecimento.

O prefeito Giovane Wickert ainda destacou que a fiscalização realizada pela equipe de fiscais de posturas e Brigada Militar será reforçada e intensificada nesta semana e, principalmente, no fim de semana. Locais públicos, na cidade e interior, assim como privados e residências com aglomerações, cujas ocorram denúncias, serão visitadas, notificadas e, se necessário, lacradas e multadas.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Venâncio Aires.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS