Conversa Sentada 05/12/2018 22h48 Atualizado às 10h49

Fazenda não é sítio de lazer

Os ensinamentos antigos são úteis e os sigo. Mas se atualizar é o mais importante. Já que fazenda não é um sítio, o desperdício tem que ser absolutamente cortado

Sobre cultura campeira continuo mais um pouco, já que em outros assuntos a Gazeta está muito bem servida.
Esqueci de dizer que nossa estância tem seis lindeiros. São estancieiros de famílias antigas, sérios, amigos, prestativos. Por isso fizemos porteiras em todas as invernadas que confrontam com os vizinhos. É importante porque se um terneiro ou vaca pula para o lado do vizinho, basta ele abrir a porteira e mandar o bicho de volta. Nós ajudamos uns aos outros e sobre isso farei um artigo especial. Há normas consuetudinárias seculares que conduzem a uma harmonia que eu nunca tinha presenciado.
Comprar áreas rurais é tudo de bom, desde que você não adquira para pecuária um sítio ou chácara de poucos hectares e o pior: com pouca possibilidade de expansão. O sítio é diversão: claro, tu sabes que aqueles tomates que plantaste te custarão R$ 50,00 o quilo; cada ovo de galinha vai te custar R$ 5,00 ou mais. Estás te divertindo, vai em frente, alegria, alegria.
Pode acontecer que teus filhos não queiram mais passar lá todos os findes. Mais: teu caseiro começa a colocar animais dele, à tua revelia.
Pior ainda é quando ele tem que ser despedido. Vocês sabem do que estou falando, né?
De outro lado, fazenda e granja servem para a gente ser feliz e, ao mesmo tempo, ganhar dinheiro. Áreas rurais mais extensas não se encontram nas regiões industriais ou nas metrópoles.
Vale a pena investir em áreas mais distantes. Se foi o tempo em que não havia luz, split, internet, água quente, TV. Se não tem, vais ter que instalar. Os cursos do Senar são prioridade: desde manejo de tratores a rudimentos de zootecnia, plantio direto, inseminação, etc.
Os ensinamentos antigos são úteis e os sigo. Mas se atualizar é o mais importante. Já que a fazenda não é um sítio, o desperdício tem que ser absolutamente cortado. A cada data especial aparece um pessoal querendo doação de um novilho, que vale cerca de R$ 2 mil, R$ 3 mil, ou de um capão (ovino castrado), que vale uns R$ 400,00. Ou pede que cedas umas novilhas aspadas (com chifres) para um rodeio. É o seguinte: se doares dez novilhas por ano, são R$ 25 mil; se emprestares as novilhas, elas vão voltar magras e estressadas. O pessoal do rodeio não cobra dos laçadores? E a troco de que tu vais emprestar de graça?
Melhor é reservar os donativos para aqueles que te ajudam a progredir. É ou não?
Portanto, meus amigos, essas músicas em que a cuia, seio moreno, passa de mão em mão, o churrasco é diário e de carne gorda, com a sanfona tocando até o amanhecer no galpão, só se for hotel-fazenda...