Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

ANDRÉ GUEDES

Batalha

A situação ainda é difícil, mas possível. Quis o destino do Grêmio no Brasileirão que fosse no mesmo dia da Batalha dos Aflitos, aquele jogo épico em 2005, em que o Tricolor venceu com sete jogadores e retornou à elite. Os torcedores esperam que não seja um duelo dramático como aquele. Que os jogadores estejam preparados tecnicamente e emocionalmente. Em caso de vitória na Bahia e o Grêmio escapando da série B, essa partida pode ser o marco da virada tricolor. Ainda restarão duas vitórias e talvez mais um empate para se manter.

Não será fácil

Será que Mancini vai colocar Alisson ou Douglas Costa, este sem condições para 90 minutos, na ponta direita? No meio-campo, Lucas Silva, suspenso, dará lugar, na teoria, a Villasanti. Digo isso porque no jogo contra o Flamengo, Lucas Silva saiu no segundo tempo e Victor Bobsin foi o escolhido.Vai entender cabeça de técnico de futebol. Torcedor, reze, faça suas promessas porque não vai ser fácil esta noite.

Ataque

É inegável a falta que faz Yuri Alberto ao Internacional. Palacios tem atuado no setor, com movimentação, bons passes e dribles, mas pisa pouco na área. Sua evolução técnica fez com que Aguirre o escalasse. Técnicos custam a enxergar o óbvio ou não querem enxergar e muitas vezes prejudicam seu time por insistências equivocadas.

Fazer o óbvio

Dos últimos 21 pontos disputados fora de casa, o Inter ganhou um. Aguirre tem de fazer o óbvio e não inventar. Os jogadores não podem ficar escolhendo jogos para ganhar. A vaga da Libertadores, que estava encaminhada, agora anda escorrendo pelas mãos.

LEIA OUTROS TEXTOS DE ANDRÉ GUEDES

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.