Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Parque da Gruta

Chuva atrapalha buscas ao macaco com lata presa na mão

Técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) estiveram em Santa Cruz do Sul nesta quarta-feira, 02, para resgatar um macaco que há cerca de um mês está com uma lata presa na mão, no Parque da Gruta. No entanto, a instabilidade atrapalhou os trabalhos.

De acordo com o médico veterinário do Ibama e responsável pela área de fauna silvestre do Rio Grande do Sul, Paulo Guilherme Carniel Wagner, e com o biólogo do Cevs, André Alberto Witt, os animais costumam estar mais recolhidos quando o tempo está nublado. Para capturar o macaco ferido, esperava-se a aproximação dele, já que a área de mata é muito extensa e a probabilidade de encontrá-lo nela seria pequena.

A intenção é que os dois retornem ao município na sexta-feira, se o clima estiver a favor da operação, ou na semana que vem. Segundo Wagner, a necessidade de deslocá-lo para atendimento médico dependerá da situação em que for encontrado. “Provavelmente ele terá que ser deslocado. Deve estar com alguma lesão pois se não consegue tirar a lata é porque está muito presa. O mais provável é que esteja com as farpas da lata encravadas na pele. Acredito que teremos que levá-lo para o hospital veterinário da UFRGS para realizar algum procedimento”. Depois que estiver bem, o macaco será devolvido à natureza. 

Os técnicos fizeram uma série de apontamentos para a Prefeitura a fim de evitar que novos incidentes envolvendo os animais silvestres sejam registrados no local. Entre as sugestões, estão adaptações no parque e uma campanha de conscientização da população para que não alimente os bichos.  

Conforme o secretário municipal de Comunicação, Régis de Oliveira Júnior, o Executivo espera instalar 30 placas a partir da semana que vem nas áreas de maior circulação do parque, perto das churrasqueiras e nas trilhas, informando que é proibido fornecer alimentos aos animais. O descumprimento da regra, inclusive, está sujeito a penalidade conforme a Lei de Crimes Ambientais.

Além disso, o Município realizará a troca de lixeiras abertas, instalará câmeras para flagrar quem alimentar os bichos e fará uma campanha para conscientizar moradores dos arredores. O secretário destacou ainda que a Prefeitura vai adquirir equipamentos necessários para novas operações – entre eles, rifles, anestésicos, gaiolas, pistolas e armadilhas – e irá fornecer treinamento para uma equipe de servidores municipais, os quais estarão aptos a realizar os procedimentos. 

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.