Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Plano de saúde

Empresa fecha e deixa clientes sem atendimento em Santa Cruz

O cancelamento dos serviços prestados pelo Hospital Santa Cruz aos pacientes beneficiários do plano de saúde Agemed Saúde S/A fez com que muitas pessoas buscassem orientação no escritório municipal do Procon em Santa Cruz do Sul. O coordenador do órgão, Marcelo Estula, informou que as reclamações começaram a chegar logo depois da publicação da nota emitida pela casa de saúde e veiculada na Gazeta do Sul em várias edições no início do mês. Ele destaca que a empresa não cumpriu com o que foi tratado, pois ofereceu um serviço que as pessoas não conseguem utilizar como deveriam.

Estula afirma que alguns dos conveniados relatam que não conseguem atendimento em Santa Cruz do Sul e são encaminhados para Novo Hamburgo, a unidade que seria a mais próxima. “Tem ainda a questão do cancelamento do plano, pois a Agemed está querendo cobrar a última mensalidade mesmo sem prestar o serviço”, explica o coordenador do Procon. Estula diz que existe também a questão do reembolso – muitos pacientes fizeram exames e a empresa não os ressarciu como estava acordado no contrato.

O responsável afirma ainda que o Procon está tomando providências sobre o caso. “Uma reclamação foi aberta e o contato está sendo feito por e-mail. Vamos tentar resolver esta situação junto à empresa. Um documento também deve ser encaminhado ao Ministério Público”, explica.

O diretor-geral do Hospital Santa Cruz (HSC), Vilmar Thomé, informa que o contrato com a Agemed foi rescindido em virtude da inexecução das obrigações financeiras, após diversas tentativas negociais e notificações formais. “A Agemed deixou de cumprir suas obrigações e cláusulas contratuais ao longo do tempo. Em maio fizemos uma primeira notificação e houve um ajuste parcial. Em novembro, fizemos uma segunda notificação. A nota foi publicada quando não houve cumprimento da segunda notificação”, destaca.

Ainda conforme Thomé, até o momento a empresa catarinense não procurou a casa de saúde para falar sobre ao assunto. “Desde novembro não tivemos mais contato, a cobrança já foi encaminhada para a assessoria jurídica. Entendemos que se trata de uma situação delicada, mas eles têm que dar explicação ao seus usuários”, diz.

Onde reclamar
Marcelo Estula orienta as pessoas que se sentem lesadas com o plano de saúde a procurarem o escritório do Procon em Santa Cruz do Sul, que fica na Rua Galvão Costa, junto ao Pavilhão Central do Parque da Oktoberfest. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9 horas às 14 horas. O contato pode ser feito também pelo telefone 3711 4548. “Isso é importante para que possamos fazer o registro e dar o encaminhamento. Em caso de contato direto com a Agemed, o ideal é que seja feito em forma de registro ou por e-mail ou com um número de protocolo”, recomenda.

Beneficiários passarão a outras operadoras
Procurada pela Gazeta do Sul nessa quarta-feira, 15, a Agemed informou, via assessoria de imprensa, que em dezembro de 2019 a Agência Nacional de Saúde Suplementar publicou resolução operacional que determinou a alienação da carteira de beneficiários da Agemed Planos de Saúde. A medida visa garantir aos beneficiários a continuidade da assistência com as mesmas condições de preço e cobertura atuais. A alienação refere-se à venda da carteira de beneficiários da Agemed para outras operadoras.

“O processo já teve início em algumas regiões e deve abranger novas áreas em breve. E de fato, não temos mais atendimento presencial em Santa Cruz do Sul. Destacamos que enquanto esse processo ocorre, a Agemed permanece garantindo o atendimento aos beneficiários, nos moldes contratados. No momento, os beneficiários de Santa Cruz do Sul estão sendo atendidos via agendamento.”

Os beneficiários que tiverem dúvidas sobre atendimento podem entrar em contato com a Agemed pelos telefones 0800 943 4444 e 0800 642 4044 (ambos 24 horas) ou ainda pelo e-mail [email protected]

INSATISFAÇÃO
Clientes insatisfeitos com o plano também entraram em contato com a Gazeta do Sul. É o caso de uma aposentada de 56 anos, moradora do interior do município. Sem querer se identificar, ela disse que havia contratado o serviço há cerca de meio ano e, ao descobrir a suspensão dos atendimentos prestados pelo Hospital Santa Cruz, cancelou o contrato. “Fiz o plano quando ainda era funcionária da Prefeitura de Vera Cruz e nos ofereceram.

Os preços estavam mais acessíveis, em especial os planos de internação. Fui pega de surpresa”, disse. Nas redes sociais, um grupo de clientes insatisfeitos criou uma página para reclamar e trocar informações. O grupo, que existe desde agosto de 2019, tem 85 membros de diferentes cidades e estados.

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.