Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

INVERNO

Como evitar a pele ressecada na estação mais fria do ano

As temperaturas começaram a baixar e a tendência é de que o frio passe a fazer parte do dia a dia daqui para frente. Mais do que reforçar o uso de agasalhos para espantar o risco de complicações como gripes e resfriados, também é importante ficar atento à pele.

Isso porque as variações de temperatura associadas à falta de hidratação podem trazer consequências nada agradáveis, especialmente na área do rosto. Mas nada impede que as marcas se manifestem em outras partes do corpo. É o que explica a médica dermatologista Gabriela Gassen, que é membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e mestranda pelo Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Segundo ela, no inverno a pele costuma ficar ressecada. “Além disso, produzimos menos oleosidade natural nesse período e, se a pele não for devidamente tratada, pode ficar mais sensível e irritada”, acrescenta.

LEIA MAIS: Inverno requer cuidados com a pele e cabelos

Embora o sol esteja menos aparente, o filtro não deve ser abandonado. “Apesar da incidência de raios ultravioleta tipo B, principal responsável por causar o câncer de pele, ser menor durante o inverno, há os raios do tipo A, que possuem um alto poder de penetração, que causam vários tipos de manchas, a perda de colágeno e a flacidez. Então, não esqueça do uso do protetor”, orienta. E há bons motivos para tomar o cuidado. “O filtro solar deve ser usado em qualquer época do ano para proteger dos danos solares que causam o aparecimento precoce de rugas, flacidez, manchas e outros sinais de envelhecimento precoce”, destaca. A recomendação de reaplicar o fotoprotetor de duas em duas horas em fotoexposição direta segue valendo. O filtro deve ter, no mínimo, FPS 30, e para potencializar a fotoproteção, ela indica aplicar um cosmético rico em antioxidantes, antes do uso do filtro.

Uma dúvida recorrente é se as épocas mais frias exigem outro tipo de protetor. Conforme a dermatologista, pode ser aplicado o mesmo produto que se usa no verão. No entanto, ela recomenda um cuidado extra para pessoas com pele seca. “Durante o inverno, podemos optar por filtros solares com ação mais hidratante, seja com veículos de maior poder de hidratação ou que possuem ativos com a função, pois a pele pode ficar mais ressecada e sensível”, explica.

LEIA MAIS: Inverno pode ser o momento ideal para recuperar a saúde da pele

Atenção

A dermatologista Gabriela Gassen listou algumas recomendações práticas que podem fazer toda a diferença nos cuidados com a pele neste período em que as temperaturas são menores. Confira:

  • Evite banhos longos e muito quentes – A água quente não é indicada para a saúde da pele. “Isso porque retira parte da camada hidrolipídica, o que provoca ressecamento, coceira e um aspecto mais áspero”, descreve. A médica recomenda que o ideal é tomar o banho morno com duração máxima de 10 a 15 minutos e hidratar a pele logo depois.
  • Banho das crianças – Para crianças que utilizam banheira, o ideal é brincar em água pura e por último aplicar um sabonete antes de finalizar o banho.
  • Sem exagerar na limpeza – “Evite também se ensaboar demais e usar buchas, que também contribuem para alterar a composição do manto hidrolipídico. O manto é um hidratante produzido pelo organismo para proteger a pele”, acrescenta.
  • Não use qualquer hidratante – O ideal é optar por produtos que formam uma película sobre a pele, diminuindo a perda de água por evaporação e que contenham ativos altamente hidratantes. “Óleo de semente de uva, ureia, ceramidas e lactato de amônio são boas opções para hidratação”, complementa.
  • Lábios – Durante o inverno, é comum que a boca fique mais ressecada. Isso acontece tanto pela influência dos agentes externos como sol, vento e frio, bem como pela presença da saliva, que está sempre em contato com a superfície dos lábios. O uso de produtos tópicos (reparadores de barreira labial) é essencial para hidratar, proteger e restaurar a região durante o inverno. “Dentre os ativos mais recomendados para recuperação da pele, estão: pantenol, manteiga de karité e lipídeos”, citou. Além disso, deve-se  evitar arrancar as pontas de pele soltas. Passar a língua sobre a boca também deve ser evitado.
  • Tratamentos – O inverno é o momento ideal para alguns tratamentos dermatológicos que requerem que o paciente evite a exposição ao sol. “É a estação mais indicada possível para fazer peelings, laser, fios de PDO, bioestimuladores de colágeno corporais, entre outros. Mas não se automedique. Procure seu médico para indicar sempre os melhores produtos para o seu tipo de pele”, completa.

LEIA TAMBÉM: Fenômeno La Niña traz o frio mais cedo neste ano

Alimentos que fazem a diferença

Quando o assunto é saúde e qualidade de vida, as recomendações passam pela adoção de hábitos alimentares saudáveis e ingestão de água. Essas dicas também se estendem à pele. Segundo a médica, existem alguns alimentos que são benéficos. “O ideal é comer legumes, hortaliças e frutas, alimentos que neutralizam os radicais livres, prevenindo o envelhecimento da pele e sendo importantes aliados para mantê-la saudável e bonita”, sugere.

A dermatologista ainda chama a atenção para alimentos como frutas cítricas, brócolis, cenoura, amêndoas e nozes.
E quando o assunto é hidratação, água não pode faltar. Vale lembrar que a hidratação da pele se dá, principalmente, de dentro para fora. Portanto, beber bastante água é fundamental, não importa a estação.

LEIA TAMBÉM: Como será o tempo no outono, que começa neste domingo

Quer receber as principais notícias de Santa Cruz do Sul e região direto no seu celular? Então faça parte do nosso canal no Telegram! O serviço é gratuito e fácil de usar. Basta clicar neste link: https://t.me/portal_gaz. Ainda não é assinante Gazeta? Clique aqui e faça sua assinatura!

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.