Close sidebar

Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Nova estação

Confira cuidados para enfrentar o verão de forma mais tranquila e segura

A estação mais quente do ano começou oficialmente no dia 21 de dezembro e, em pouco tempo de verão, já foi possível ter uma prova das principais características do período: dias abafados, chuvas rápidas e muito sol. Apesar de ser detestado por muitos, a maioria das pessoas afirma que se sente mais disposta, aproveitando os dias mais longos para praticar exercícios e desfrutar de atividades ao ar livre. Com ou sem ar-condicionado, dentro ou fora da piscina, algumas medidas e cuidados podem, e devem, ser tomados para enfrentar a estação – que se estende até o dia 20 de março – de forma mais tranquila e segura.

Durante os meses de verão, a incidência de radiação solar sobre a Terra é mais intensa, o que aumenta o risco de problemas como queimaduras e câncer de pele. Portanto, o horário ideal para se expôr ao sol é antes das 10 horas e após as 16 horas, quando essa incidência é menor. Para se proteger, a recomendação da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SDB) é aumentar o uso do filtro solar, que deve ser aplicado diariamente, e não somente em momentos de lazer.

No dia-a-dia, os fatores 15 e 20 já dão conta do recado, mas para exposições na praia ou na piscina, é recomendado fator a partir do 30. O produto deve proteger contra os raios UVA (indicado pelo PPD) e UVB (indicado pelo FPS), devendo ser aplicado 30 minutos antes da exposição solar e reaplicado a cada duas horas. Esse tempo diminui se houver transpiração excessiva ou contato com a água. Para quem se incomoda com o aspecto “pegajoso” que o protetor pode deixar na pele, a indicação é usar aqueles que não contenham óleo na fórmula (oil free) ou que se apresentem em gel.

Além do filtro solar, as roupas e acessórios têm papel importante na hora de proteger a pele, e não precisam ser roupas com fator de proteção solar, que geralmente custam caro. Conforme a SDB, peças de algodão puro ajudam a reter em até 90% a radiação UV, sendo as mais indicadas para o período. Já os tecidos sintéticos, como o nylon, retêm apenas 30%. Outro objeto que tem extrema importância são os óculos de sol, que previnem cataratas e lesões na córnea. Comprar óculos em camelôs, portanto, pode representar perigo à saúde, já que não possuem proteção UV e podem causar queimaduras, dependendo do material em que foram fabricados. Para os cabelos, a dica é o uso de fluidos siliconados nas pontas, que impedem que eles se danifiquem com o vento, calor ou maresia.

Nutrição

A alimentação nos dias de calor deve ser leve, rica em vegetais e fibras. Segundo a Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo, é indicado evitar o consumo de carne vermelha, leite e seus derivados e açúcares. Para manter a hidratação, é recomendado beber de seis a oito copos de água por dia, além de apostar em sucos naturais e na água de coco. Cuidar da higiene, armazenamento e preparo dos alimentos é fundamental para evitar problemas como a intoxicação alimentar. 

Depois das refeições, a circulação sanguínea se concentra no estômago para auxiliar na digestão. Em situação de esforço, como na natação, corre-se risco de um acidente vascular cerebral (derrame), por isso a recomendação para esperar duas horas para entrar na água depois de comer.

Conforme a Sociedade Brasileira de Dermatologia, alimentos como cenoura, abóbora, mamão, maçã e beterraba podem ajudar na prevenção dos danos que o sol causa à pele, pois contêm carotenoides, substância que se deposita na pele e retém as radiações ultravioletas. Essa substância é encontrada nas frutas e legumes de cor alaranjada ou vermelha.


Sucos: ajuda na hidratação

Limpeza do ar-condicionado é fundamental

Quem recorre ao ar-condicionado para suportar o calor precisa estar atento a alguns cuidados com a limpeza e a temperatura em que será utilizado o aparelho. Segundo o engenheiro Luciano Kipper, a temperatura ideal é a de maior conforto individual, podendo variar de pessoa para pessoa. “Estudos mencionam que a maior parte da população (homens, mulheres, crianças) sente-se mais confortável em faixas próximas a 24 graus, mas isso não é uma regra”, explicou. 

Kipper ressalta que, quanto mais baixa a temperatura, mais baixa fica a umidade relativa do ar, o que pode acarretar em problemas de saúde como irritação na garganta, ressecamento dos olhos e até mesmo resfriados. Quanto maior o grau de limpeza do equipamento, melhor será seu rendimento energético e a qualidade e pureza do ar fornecido. Para aparelhos com carga térmica de mais 60 mil BTUs, a higienização deve ser anual e em ambientes muito contaminados a cada seis meses, com a retirada total do ar-condicionado para o trabalho.

A limpeza ocorre com produtos específicos e são coletados os micro-organismos no aparelho, com o envio de amostras para análise em laboratório. No caso de equipamentos residenciais, é recomendável fazer a limpeza periódica, conforme recomenda o manual de instruções, para evitar contaminações e outros problemas.

CUIDADOS NOS BALNEÁRIOS

Os principais cuidados com a piscina são em relação às crianças. No caso de crianças com até 5 anos, a recomendação é que a área seja cercada e elas nunca sejam deixadas sozinhas.

  • Correr e pular em volta da piscina também pode ser perigoso, já que a borda costuma ficar molhada e escorregadia. 
     
  • Quanto à limpeza, a recomendação é que ela seja executada sempre após o uso, para evitar que bactérias e insetos que possam transmitir doenças proliferem na água.
     
  • Em rios e açudes, a principal dica é procurar lugares que sejam atendidos por salva-vidas. Em locais que não forem assistidos, as pessoas que não sabem nadar não devem entrar na água, nem mesmo nas partes rasas.
     
  • Nas áreas que contarem com guarita, é fundamental manter-se perto delas e dentro da área demarcada.
     
  • Antes de sair de casa, vale lembrar sempre de levar algum objeto flutuante, como boias e coletes.
     
  • No mar, o mais importante é respeitar os horários de banho e entrar no mar na frente das guaritas salva-vidas ou, no máximo, a 100 metros delas. 
     
  • Quanto às crianças, a indicação é de nunca deixá-las sozinhas, não somente na água, mas também na areia. 
     
  • Vale ainda lembrar que é preciso seguir o que dizem as bandeiras. A verde indica que o mar está próprio para banho; a amarela significa que é preciso ter cuidado, pois há formação de buracos e correntes de retorno; e a vermelha é quando esses dois fatores estão agravados, sendo totalmente desaconselhável a entrada na água.

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.