Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Publicidade

LAVOURAS

Conselho estima prejuízo de R$ 43 milhões na agropecuária em Santa Cruz

Foto: Alencar da Rosa/Banco de Imagens

Rio Pardinho teve diversas propriedades rurais inundadas

Uma reunião do Conselho Municipal de Desenvolvimento Agropecuário (Comdap), na manhã de quarta-feira, 15, na Secretaria de Agricultura (Seagri), teve como ponto principal a apresentação do relatório com as perdas registradas em Santa Cruz do Sul, causadas pelas chuvas que assolam a região desde o final de abril. O documento foi elaborado pela Seagri e a Emater, com base em vistorias realizadas a campo, e traz uma estimativa dos prejuízos gerados pelos alagamentos, granizo e vendavais de grande intensidade à cadeia produtiva – em um valor total estimado em R$ 42.957.375,00.

O secretário de Agricultura, Décio Hochscheidt, destaca que o relatório é extremamente importante para identificar os pontos mais urgentes onde a Administração Municipal deve agir. “Estamos seguindo uma determinação da prefeita Helena Hermany. Levantar prejuízos, abrir estradas e recolher entulhos. Todos os equipamentos e máquinas da Seagri e da Secretaria de Obras e Infraestrutura estão trabalhando para que aos poucos nosso interior volte a uma normalidade”.

LEIA TAMBÉM: Profissionais da saúde atendem acolhidos em Santa Cruz

Publicidade

Conforme o laudo, o município apresenta um cenário de crise devido ao excesso de chuvas, que prejudicou as culturas no período e as criações de animais, além dos danos causados às infraestruturas domiciliares e produtivas. Somente entre os dias 29 de abril e 2 de maio, Santa Cruz registrou mais de 500 milímetros de chuva.

O relatório aponta perdas diretas e indiretas nas lavouras de milho, arroz, soja, olericultura, fruticultura, e nas atividades relacionadas à bovinocultura de leite e de corte, à suinocultura e à produção de aves. Ainda registra prejuízos à infraestrutura produtiva, galpões, estufas, além de açudes e reservatórios de água para hidratação animal.

As estimativas de perdas são de 25% para os milhos grão e silagem; 100% para a soja e o arroz; 90% para hortaliças diversas; e 30% na fruticultura, totalizando um prejuízo de R$ 29.075.265,00. Na pecuária, calcula-se em 5% as perdas entre bovinos de corte e 40% entre o gado leiteiro, com mortalidade de 5% do rebalho e perda de 25% das pastagens – um prejuízo de 13.805.099,00.

Publicidade

LEIA TAMBÉM: Secretaria de Habitação convida proprietários de imóveis a aderirem ao Aluguel Social

Na apicultura, a elevação das águas provocou danos às colmeias e à produção. Em relação à infraestrutura produtiva, foram identificados danos em açudes, galpões, silos secadores, de armazenagem e de silagem, entre outros. Também ocorreram perdas de equipamentos e maquinários, muitos em áreas de colheita, devido ao rápido acúmulo de água.

Além disso, o relatório também constatou danos às infraestruturas domiciliares e situações de emergências socioassistenciais, encaminhadas aos serviços de assistência social. Após a análise do documento, o conselho também avaliou o andamento da ação de arrecadação de doações para os pequenos produtores rurais.

Publicidade

Os valores angariados até o momento serão destinados à aquisição de insumos para os agricultores, inicialmente investindo na compra de ração animal. A campanha prossegue em atividade, com recursos podendo ser encaminhados através do Banco Sicredi (nº 748), agência 0156, conta corrente 03456-5 e também da chave Pix [email protected]. Caberá ao conselho a gestão e o repasse dos recursos aos agricultores.

LEIA MAIS SOBRE O AGRONEGÓCIO

Chegou a newsletter do Gaz! 🤩 Tudo que vocêprecisa saber direto no seu e-mail. Conteúdo exclusivo e confiável sobre Santa Cruz e região. É gratuito. Inscreva-se agora no link » cutt.ly/newsletter-do-Gaz 💙

Publicidade

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.