Sob investigação 18/03/2020 06h34 Atualizado às 12h51

Vale do Rio Pardo tem 23 casos suspeitos de coronavírus

Em Santa Cruz são 14 em análise, em Venâncio Aires, sete, e em Rio Pardo, dois. No Brasil,há 291 confirmados, com uma morte

Embora não se tenha confirmado nenhuma vítima de coronavírus na região, o temor por parte dos municípios e populações cresce a cada dia, sobretudo com o aumento dos casos suspeitos. Desde 27 de fevereiro, quando foi confirmada a primeira situação sob investigação, monitorada pela Secretaria Municipal de Saúde de Santa Cruz do Sul, já foram contabilizados 27 casos no Vale do Rio Pardo.

Dos 18 analisados em Santa Cruz do Sul, três já foram descartados pela Prefeitura ainda na semana passada. Na tarde dessa terça-feira, 17, a deputada estadual santa-cruzense Kelly Moraes (PTB) afirmou à Gazeta do Sul que testou negativo para coronavírus, ampliando para quatro o número de casos descartados, enquanto 14 ainda seguem sob investigação.

LEIA MAIS: Kelly Moraes testa negativo para coronavírus

Em Venâncio Aires, até a noite dessa terça-feira, eram sete casos em análise, enquanto Rio Pardo contabilizava dois. Nos outros municípios da região, até o momento não se tem registro de casos suspeitos. De acordo com a coordenadora da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (13ª CRS), Mariluci Reis, a região vem se preparando para um possível primeiro paciente com coronavírus.

“Se confirmar algum caso, a vítima deve permanecer em isolamento até curar o vírus, com monitoramento permanente. Em caso de agravamento, o paciente será encaminhado para um leito de internação, lembrando que os hospitais da região já possuem ou estão programando esse espaço, a partir do que o plano regional de contingência do Covid-19 propõe”, afirmou Mariluci.

LEIA TAMBÉM
Consumidores lotam mercados e enchem os carrinhos de compras
Álcool gel começa a faltar nas farmácias de Santa Cruz
Coronavírus: acompanhe as últimas notícias sobre o Covid-19

Gabinete de Emergências inicia os trabalhos

Criado para o combate ao coronavírus, o Gabinete de Emergências realizou a primeira reunião na tarde dessa terça. O grupo, que conta com representantes de diversas entidades do município, se encontrou no Salão Nobre do Palacinho.

As primeiras medidas recomendadas são que as instituições de ensino infantil e adulto, do sistema privado, suspendam as atividades a partir desta quinta-feira – da mesma forma que o Município fez – e que sejam suspensas ou adiadas quermesses ou festividades no interior de Santa Cruz do Sul.

Segundo o coordenador do grupo, secretário municipal de Saúde Régis de Oliveira Júnior, o objetivo é discutir e definir de forma coletiva orientações para a sociedade que possam ajudar a evitar a contaminação de Covid-19 no município.

Gabinete de Emergências se encontrou pela primeira vez, no Salão Nobre

“Santa Cruz se antecipou à chegada do vírus e desde janeiro tem anunciado medidas. O Gabinete de Emergências vem para apoiar as ações e ajudar na discussão do que poderá ser melhor para a comunidade”, explica. O gabinete volta a se reunir nesta quarta-feira, 18, às 9h30, na Secretaria de Saúde.

Diante da propagação do coronavírus no Brasil, o prefeito Telmo Kirst assinou nessa terça um decreto com novas medidas de segurança, como forma de prevenir a doença no município. Entre as definições do documento está a suspensão das aulas nas escolas municipais, a criação do Gabinete de Emergências e a possibilidade de home office para servidores da Prefeitura com 60 anos ou mais.

LEIA MAIS: Confira alterações nos serviços em Santa Cruz do Sul

Estado projeta avanço do coronavírus

A secretária estadual do Planejamento, Leany Lemos, apresentou na tarde dessa terça, na Assembleia Legislativa, um estudo de 28 páginas intitulado “CORONAVÍRUS: Exercícios de projeção de casos para o Rio Grande do Sul”, que foi elaborado pelo Departamento de Economia e Estatística (DEE). Até a noite dessa terça, o Estado possuía 11 casos confirmados.

O documento projeta, de acordo com estudos internacionais, o avanço do Covid-19 de forma geométrica a partir do 50º caso. Levando em conta os parâmetros de outros países, os prognósticos indicam que na próxima terça-feira, 24, ou em data próxima, o Rio Grande do Sul deve atingir o caso 50. Nos dias seguintes será possível identificar dentro de qual cenário o vírus avança: se extremo, agressivo ou moderado.

O documento também mostra que atualmente o Brasil e o Estado de São Paulo apresentam evolução próxima dos cenários agressivo e extremo, como ocorrido em países como Itália, Irã e Coreia do Sul. França, Espanha e Alemanha possuem um quadro agressivo, enquanto o Japão, moderado.

Primeira morte confirmada

Foi confirmada na manhã dessa terça a primeira morte por coronavírus no Brasil. A vítima de São Paulo era um homem de 62 anos que tinha diabetes e hipertensão. Ele deu entrada em um hospital privado, não identificado, no sábado, 14, e faleceu na última segunda-feira.

Os primeiros sintomas se manifestaram no dia 10 de março. O paciente não tinha histórico de viagem. No último balanço oficial divulgado pelo Ministério da Saúde, já são 291 casos de coronavírus confirmados no País.

LEIA MAIS: Brasil tem a primeira morte por coronavírus; outros quatro casos são investigados