Crise 13/03/2021 18h43

Restaurantes noturnos lutam para se manter

Estabelecimentos encaram dificuldades como manter funcionários e custear despesas

Com a impossibilidade de receber clientes à noite, diversos restaurantes de Santa Cruz do Sul enfrentam dificuldades e fazem esforços para não fechar as portas. Em muitos casos, operar somente no formato delivery não é suficiente para cobrir os custos.

A Churrascaria Centenário é um exemplo. Referência entre as opções noturnas para jantar, tem um atendimento diferenciado e bufê variado para abrigar os clientes em suas mesas. Entretanto, a bandeira preta reduziu o faturamento e agravou os prejuízos, acumulados desde o início das restrições, em março do ano passado.

De acordo com o sócio-proprietário Vandinei Cenci, 20% dos colaboradores foram desligados. Para ele, a situação atual praticamente inviabiliza o negócio. “Somente para abrir, temos um custo de R$ 100 mil por mês. A estrutura é de mil metros quadrados, preparada para receber clientes. É muito diferente de quem atende somente por delivery”, comenta.

Cenci salienta que as condições são ainda piores no fim de semana, com a adoção do lockdown. “Somente com telentrega fica difícil. Precisamos de uma abertura da economia, para que os negócios permaneçam abertos. O governo estadual precisa rever algumas posições. Nossos estabelecimentos não são os propagadores do vírus”, enfatiza.

LEIA MAIS
CDL de Santa Cruz encaminha pedido de auxílio para empresários do município
Mais da metade dos empresários de Santa Cruz do Sul não descarta fechamento, aponta pesquisa

Para o sócio-proprietário do Black Truck Burger, Ismael Albino Schwantes, as condições para manter os compromissos são críticas na hamburgueria. Os colaboradores fixos foram reduzidos pela metade, e o faturamento caiu 40%. “Estamos fazendo combos com desconto e avaliando a possibilidade de mudar a estrutura só para delivery. Não temos perspectivas de quando poderemos voltar a atender.”

No caso do restaurante Viccino, a proposta é de que o cliente possa ter uma experiência, com pratos elaborados por um chef e uma variada carta de vinhos. Por esse motivo, as restrições prejudicaram a o estabelecimento. O proprietário Celso Esperdião precisou reduzir o quadro de colaboradores em 40%. “Pela nossa proposta gastronômica, optamos por fechar as portas. Mas estamos avaliando a reabertura para segunda-feira, com opções de telentrega e drive-thru”, explica.

Com queda no faturamento, Black Truck Burger pode ficar somente com delivery | Foto: Alencar da Rosa