Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

CADERNO ELAS

Emoções negativas; psicóloga fala sobre a importância de buscar apoio

Luiza Tamara Leal fala sobre como lidar com o problema

Você certamente já passou por situações em que foi necessário processar emoções ruins. Mais que isso, foi preciso transformá-las em aprendizado. Vivenciar tais momentos não é fácil e, muitas vezes, faz-se necessária uma rede de apoio. O cuidado com a saúde mental é essencial e não fazê-lo pode desencadear problemas como depressão e ansiedade.

LEIA TAMBÉM: Caderno Elas: soberanas da 37ª Oktoberfest e a realização de um sonho

De acordo com dados da Secretaria de Saúde de Santa Cruz do Sul, atualmente, no Centro de Atenção Psicossocial (Caps) II, são atendidos 481 casos de depressão moderada e grave. Conforme dados do Ministério da Saúde, 5,8% da população brasileira tem depressão. Em Santa Cruz, são 7.565 pessoas. 

A psicóloga, pesquisadora e acadêmica do Mestrado Profissional em Psicologia da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) Luiza Tamara de Almeida Leal fala sobre a importância de buscar apoio e como lidar com a “positividade tóxica”.

Marcado na história – “A palavra emoção tem sua origem em duas palavras do latim: ex movere, que significam “em movimento”. Dessa forma, os sujeitos se movimentam quando estão emocionados, o que se evidencia no corpo. Desde a Grécia antiga até o século 19, filósofos e psicólogos acreditavam que as emoções eram instintos básicos que deveriam ser controlados. No século 20, elas eram vistas como um sentimento descartado, principalmente por influência do pensamento cartesiano. Nos dias atuais, é relevante que as emoções sejam vistas como algo importante que constitui os sujeitos. É como os indivíduos as manejam, como permitem se tocar e emocionar, que auxilia a torná-los conscientes dos seus aspetos emocionais. Desta forma, contribui para uma maior qualidade na forma de se relacionar nos mais variados aspectos da sua vida, seja ela profissional, afetiva ou social.”

Emoções negativas – “No campo das emoções, existem várias que podem se manifestar, como raiva, descontentamento, preocupação, tristeza, medo, vergonha, inveja, solidão, paixão, amor, tranquilidade, contentamento, otimismo, alegria, excitação, surpresa, culpa etc. Geralmente, tendemos a ter mais dificuldades em lidar com as emoções negativas, uma vez que elas estão ligadas aos impulsos. Quando temos um impasse ou uma situação problema, são as emoções e os sentimentos que nos orientam frente à tomada de uma decisão. Assim, cada tipo de emoção sinaliza uma direção para que se possa planejar e lidar com a vida.”

Inteligência emocional – “Um ponto importante, que pode auxiliar e canalizar as emoções, é a inteligência emocional, que está relacionada à habilidade de monitorar os sentimentos e emoções em si mesmo e nos outros, na discriminação entre ambos e na utilização desta informação para guiar os pensamentos e ações. Essa é a forma como o sujeito vai identificar e lidar com as suas próprias emoções e as dos outros, conseguindo compreender as suas e como elas afetam as outras pessoas. É importante estar atento às suas emoções, como elas o afetam no seu cotidiano e com qual intensidade você as gere. Observar com qual frequência você se coloca no lugar dos outros, principalmente aqueles de seu convívio, se tenta entender os sentimentos dessas pessoas. Questionar-se e estar atento a se você compreende ou está disposto a entender o porquê de sentir determinadas emoções e sentimentos, e qual a melhor forma de lidar com elas. Assim, facilita a troca e as conexões com os outros, o que permite uma mútua compreensão, o que propicia uma vida mais saudável e autêntica.”

Diálogo é alicerce – “Na psicologia, valorizamos muito a questão do diálogo. Diria que ele é um alicerce fundamental em todas as relações, sejam familiares, amorosas, sociais ou profissionais. É importante que os sujeitos consigam, nesses espaços, falar sobre suas necessidades, desejos, intenções e projeções. Gosto de dizer aos pacientes que “o outro não vai adivinhar aquilo que tu desejas, se tu não comunicares”. O mesmo serve para os nossos sentimentos. Eles precisam ser ditos, expressados e anunciados. Muitas vezes, os indivíduos guardam suas angústias, sofrimentos e dores, com medo do julgamento, da não compreensão alheia e de desagradar aqueles que amam. Por isso, é sempre importante pensarmos na nossa rede de apoio, quem são aquelas pessoas nas quais podemos confiar e que ajudam na resolução dos problemas. Ter esse círculo pode auxiliar a falar sobre si, sobre seus sentimentos, angústias, e deixar mais leve a forma de levar a vida.” 

Cuidado com a saúde mental – “Outra possibilidade muito importante é o cuidado com a sua saúde mental. Desempenhamos uma série de cuidados com nosso corpo, com nossa higiene, saúde física, com prática de exercícios ou alimentação. Mas será que olhamos realmente para nossa saúde mental? Quando esses sentimentos, emoções e angústias escondidas causam sofrimento, limitam ou impedem a qualidade de vida, é importante olhar para eles. E o profissional da psicologia pode auxiliar muito nesse processo, uma vez que fazer psicoterapia é um gesto de autocuidado, de conhecimento, e, principalmente, investimento em si. Se algo não está bem, não está conseguindo dar conta sozinho, procure ajuda. Cuidar de si é um investimento à vida.” 

Positividade tóxica – “Consiste em um discurso emocional, que tem como base ‘olhar para as coisas boas da vida’, ‘manter o lado positivo sobre todas as situações’, ou ‘sempre perceber o lado otimista de cada acontecimento’. Esse comportamento desencadeia aos sujeitos impor a si mesmos e aos outros um comportamento falsamente positivo, otimista e feliz, independentemente da situação, silenciando as emoções negativas, como se todas as pessoas passassem de forma homogênea pelas situações, sem se abalar e encarando-as com um ‘lindo sorriso no rosto’. Mas sabemos que a vida não é bem assim. Esse tipo de narrativa por trás da positividade tóxica tem como objetivo mascarar e negligenciar os sofrimentos, dores e angústias que todo indivíduo sente ao longo de sua vida. As pessoas passam por adversidades, situações frustrantes, momentos difíceis, que são naturais e importantes para o desenvolvimento, crescimento emocional, afetivo e cognitivo dos indivíduos. Momentos difíceis são importantes para potencializar os indivíduos. É neles que se aprende sobre resiliência, a capacidade de inovar, a importância de pedir ajuda aos outros, permitir-se ser cuidado.”

É preciso se permitir – “Permitir-se sentir é fundamental e importante a todos. O ‘permitir sentir’ é ir até quando se percebe que está dando conta, seja sozinho, com as pessoas importantes ou com auxílio profissional. A dor faz parte de todos os processos humanos, mas permanecer no sofrimento é arriscado. Procure olhar para si, com o carinho que olharia para alguém que ama, e acolha seus sentimentos com afeto!”

LEIA MAIS SOBRE SAÚDE E BEM-ESTAR

Quer receber as principais notícias de Santa Cruz do Sul e região direto no seu celular? Então faça parte do nosso canal no Telegram! O serviço é gratuito e fácil de usar. Basta clicar neste link: https://t.me/portal_gaz. Ainda não é assinante Gazeta? Clique aqui e faça sua assinatura!

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.