Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

CPI da Covid

Omar Aziz concorda que Pazuello é ‘um forte candidato’ a indiciamento

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, senador Omar Aziz (PSD-AM), criticou a participação do presidente Jair Bolsonaro e do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello em ato que reuniu centenas de motociclistas na zona oeste do Rio de Janeiro nesse domingo, 23. Aziz direcionou suas críticas principalmente ao ex-ministro da Saúde, concordando com o vice-presidente do colegiado, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), de que Pazuello é “um candidato forte” ao indiciamento.

Pazuello esteve junto de Bolsonaro em evento que reuniu milhares de motociclistas no Rio de Janeiro, ambos não usavam máscaras, item de uso obrigatório no Estado. O ex-ministro, que na semana passada prestou depoimento na CPI da Covid, já havia sido flagrado sem máscara em um shopping em Manaus. Quanto ao ocorrido na capital do Amazonas, Pazuello se desculpou com senadores durante sua oitiva, dizendo que foi fotografado em um breve intervalo em que estava à procura de uma loja que vendesse o item de proteção.

LEIA MAIS: Pazuello passa mal e depoimento na CPI será retomado nesta quinta

Em entrevista à CNN, Aziz afirmou que Pazuello será reconvocado à comissão, e que será questionado sobre este episódio. “Vou perguntar ao Pazuello se o presidente Bolsonaro estava vendendo máscara, porque ele subiu no palanque sem máscara e não comprou nenhuma máscara lá”, declarou Aziz.

Para o senador, o ex-ministro “mentiu muito” em seu depoimento na comissão e, se reconvocado, deveria comparecer à CPI sem um “habeas corpus embaixo do braço”. Segundo Aziz, Pazuello utilizou o recurso para fazer “gracejos” e contar “historinhas”, evitando dar respostas objetivas sobre seu tempo à frente da pasta.

LEIA TAMBÉM: CPI ouvirá ministros, time de Pazuello, governadores e prefeito de Manaus

O presidente do colegiado também criticou o movimento desse domingo no Rio de forma geral. Aziz chamou os integrantes do ato de “motoqueiros do apocalipse” e questionou a motivação do ato. “Essa aglomeração que foi feita gerou algum emprego pro Brasil? Não gerou. Trouxe algum dos mortos à vida? Não. Vai evitar morte por Covid? Não”, afirmou o parlamentar.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.