Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

ESTADO

Por determinação judicial, homem se vacina e poderá voltar a conviver com a filha

Após atuação da Defensoria Pública, um pai acatou determinação da Justiça e tomou as duas doses da vacina contra a Covid-19. Desta forma, ele poderá voltar a conviver com a filha, mediante condições presentes no acordo de guarda da criança. Em setembro deste ano, na cidade de Passo Fundo, uma ação da Defensoria Pública havia suspendido o direito de visita de um homem que negou a vacinação contra a Covid-19. Na época, o caso teve grande repercussão nacional por ser algo inédito.

Os pais possuem um acordo para que a guarda da filha seja exercida de forma compartilhada, com a menina morando junto da mãe, mas tendo o pai o direito de visitar a criança, mediante combinação prévia entre os genitores. A decisão judicial se deu pois o homem foi infectado e internado em estado grave por causa do coronavírus e havia transmitido a doença para a menina. Após a recuperação, retomou as visitas à filha, afirmando que não iria se imunizar contra a doença.

A ação foi ajuizada pela defensora pública Vivian Rigo, que pontuou a necessidade de suspender as visitas até que o homem estivesse com o ciclo vacinal completo. A liminar foi concedida pela Vara de Família da Comarca de Passo Fundo. “A Defensoria não poderia deixar de buscar a tutela judicial para proteger a criança, diante da negligência do genitor para com a saúde da própria filha”.

LEIA MAIS: Defensoria Pública obtém liminar que proíbe pai de ver filha por não querer se vacinar

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.