Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

MOSTRA COMPETITVA

Racismo e mais crítica social e política

“Inabitável” evidencia o retrato de uma mãe desesperada, misturado com a temática da violência contra transexuais

O tema negritude invadiu o telão do Festival Santa Cruz de Cinema. A partir do resgate de imagens históricas, como os anúncios da venda de negros em classificados de jornais, e da matéria da extinta TV Manchete que mostra a relação de distanciamento entre os moradores do bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro, e as comunidades pobres, Ser Feliz no Vão abriu a noite, com direito a fortes aplausos.

A sequência foi uma mescla de divisão de classes com o racismo, sobretudo o estrutural e disfarçado, que a sociedade entende como normal. Ao mesmo tempo que Você tem Olhos Tristes mostra o orgulho do protagonista em conseguir ser aprovado para receber por suas entregas, via aplicativo, com cartão, evidencia um pedido em tom irônico: familiar da namorada branca pede que consiga uma porção de maconha, abusando do estereótipo de que pobre e negro está vinculado ou próximo ao crime.

LEIA MAIS: Contestação e diversidade na Mostra Competitiva

A Destruição do Planeta Live levou a reflexão para a inquietude humana, com o debate sobre o suicídio e a iminente tristeza que paira na sociedade, causada pela forma volátil como se vive. O diretor e ator Marcos Curvelo disse ter sido a tristeza a motivadora do filme. “Morro e renasço um pouco, como todos nós que produzimos”, reforçou no debate da noite.

E se os temas passeavam pelo Brasil, em Florêncio Guerra e seu Cavalo os pés se fincaram nos rincões gaúchos, levando à tela o que o autor chamou de “bombachaverso” – o universo da bombacha, que mostra a capacidade de sensibilidade do cidadão do Rio Grande do Sul. Com história vinculada à música nativista, o diretor Guilherme Suman deu sequência ao trabalho apresentado e premiado no último ano do Festival, Bochincho. “A ideia é fazer uma série com esse mesmo formato, porque não há muito espaço para o conteúdo de bombacha”, acrescenta.

Já em Review, a violência doméstica, física e psicológica gerou questionamentos entre os espectadores. As cenas são do cotidiano de um casal, ajustadas pelo diretor Tyrell Spencer para transmitir a impressão de que se tratava, de fato, de agressão. A noite terminou com Inabitável, curta que evidencia o retrato de uma mãe desesperada, misturado com a temática da violência contra transexuais, à procura de um mundo em que seja possível habitar em paz. Matheus Farias e Enock Carvalho conseguiram com seu filme, fomentados por incentivo do governo de Pernambuco, a geração de mais de cem empregos.

LEIA MAIS: Pedro Guindani: moscas, cidades e violências

Quer receber as principais notícias de Santa Cruz do Sul e região direto no seu celular? Então faça parte do nosso canal no Telegram! O serviço é gratuito e muito fácil de usar. Se você já tem o aplicativo, basta clicar neste link: https://t.me/portal_gaz. Se ainda não usa o Telegram, saiba mais sobre o app aqui e veja como baixar.

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.