Close sidebar

Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Gazeta explica

VERIFICAMOS: informação de que alimentos alcalinos protegem contra coronavírus é falsa

Uma mensagem que circula em mídias sociais e grupos de WhatsApp recomenda o consumo de alimentos alcalinos como forma de proteção contra o novo coronavírus. A mensagem atribui a uma instituição chamada Virology Center, de Moscou (Rússia), a informação de que “a Covid-19 seria imune a organismos com um pH superior a 5,5”. “Precisamos consumir mais alimentos alcalinos que nos ajudem a aumentar o nível de pH para combater o vírus”, diz. Na sequência, são listados uma série de alimentos – limão, abacate, alho, manga, tangerina, abacaxi e laranja – com os respectivos valores de pH.

A informação, porém, é FALSA e não deve ser compartilhada. A Gazeta do Sul encaminhou a mensagem para o professor do departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), Fredi Quijano, que identificou diversos erros técnicos. O primeiro é que o coronavírus seria “imune” a organismos com determinados valores de pH. Conforme Quijano, o conceito de imunidade não se aplica a vírus, apenas a organismos mais complexos. O que pode ser discutido, portanto, é se o coronavírus resiste a determinadas condições.

LEIA MAIS: VERIFICAMOS: tabela que compara mortes por Covid-19 a outras doenças é falsa

Além disso, a informação de que o coronavírus não resistiria a um pH superior a 5,5 não faz sentido, já que o pH médio do sangue humano é 7,4. Os próprios valores de pH atribuídos aos alimentos listados na mensagem estão incorretos, segundo o artigo “O pH de frutas nacionais”, publicado na Revista da Faculdade de Medicina Veterinária da USP. A mensagem aponta que o pH do limão, por exemplo, seria 9,9, bem acima da realidade (2,17 em média). “Esses valores de pH que estão na mensagem são de soda cáustica, são pHs muito altos, que acabariam com o sistema digestivo da pessoa”, explica Quijano.

A origem da suposta informação também é duvidosa, já que não há registros de alguma instituição chamada “Virology Center” em Moscou.

LEIA MAIS: VERIFICAMOS: beber água frequentemente evita o coronavírus?

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS

Mais sobre

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.