Close sidebar

Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

Relíquias do Rio Grande

VÍDEO: arquivo histórico de Rio Pardo guarda até documentos assinados por Dom Pedro II

Foto: Marília Nascimento

Documento em caligrafia rebuscada, assinado pelo próprio imperador Dom Pedro II, é uma das muitas preciosidades conservadas

Que Rio Pardo é cheia de história, isso já sabemos. Inclusive, é conhecida como Cidade Histórica. Mas você sabe onde encontrar todo esse passado documentado? O Arquivo Histórico Municipal de Rio Pardo Biagio Soares Tarantino tem tudo guardado. “É o coração do nosso patrimônio”, como define o secretário de Turismo, Cultura, Juventude, Esporte e Lazer, Tiago Melo.

Para a professora Neuza Quadros, que atua no arquivo desde 1993, o acervo possibilita aprender muita coisa. “O que nossos antepassados deixaram, como foi o desenvolvimento da nossa cidade.” É possível encontrar e pesquisar documentos de diversos períodos, mas principalmente a partir da divisão do Rio Grande do Sul em quatro vilas, quando Rio Pardo surgiu oficialmente, ocupando boa parte do território. Os principais registros são da Câmara Municipal, que funcionava como uma prefeitura naquela época.

LEIA MAIS: VÍDEO: o valioso museu criado por Biágio Soares Tarantino

Além de um vasto acervo fotográfico, que ganhou mais peças quando o jornal A Folha fechou e também com o encerramento das atividades do Solar dos Panatieri, é possível encontrar muitos documentos manuscritos. Uma caligrafia bem difícil de entender. Neuza explica que, muitas vezes, fica um dia inteiro para decifrar e transcrever apenas uma página. “Hoje, pelo tempo, já estou mais craque na leitura.”

A professora conta que, mesmo há tantos anos trabalhando no local, não tem como saber tudo que está guardado ali. “Eu acho que não sei tudo ainda. Sei muita coisa, mas a gente nunca sabe tudo.” Recentemente, ela encontrou um documento assinado por Dom Pedro II. Entre as preciosidades que podem ser encontradas, Neuza cita a nomeação do primeiro professor em 1820 e todos os registros da construção da rampa no Rio Jacuí. Parte da estrutura, erguida após a vinda do Imperador para o Município, ainda existe na Praia dos Ingazeiros.

Dom Pedro II, aliás, é tema de vários registros guardados no Arquivo Histórico. Há, por exemplo, detalhes de toda a estadia dele em Rio Pardo no ano de 1846, quando o imperador foi homenageado nas igrejas São Francisco, Nossa Senhora do Rosário e Senhor dos Passos. Durante a viagem pelo interior do Rio Grande do Sul, a esposa Teresa Cristina ficou no município aguardando o retorno.

“É uma riqueza cultural do nosso município”, afirma o secretário. Para ele, além dos documentos históricos, os jornais guardados são importantíssimos, pois contam histórias também. Há exemplares do período entre a transição do período Imperialista para o Republicano, que são em tecido, por exemplo. Melo, que já trabalhou no arquivo, conta que as pessoas desconhecem o próprio patrimônio, e isso faz com que não o valorizem. “Não gosta de história quem não gosta da sua própria.”

LEIA MAIS: VÍDEO: Hino rio-grandense nasce em Rio Pardo

Pesquisas e visitas

O Arquivo Municipal recebe pesquisadores de diversos lugares, inclusive de outros estados. Mas Neuza afirma que há até pouca pesquisa, levando-se em conta a história existente no espaço e as universidades próximas. É através das pesquisas que ela e a equipe acabam conhecendo mais documentos.

Alguns anos atrás o projeto Revita, uma parceria com a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), fez com que todos os livros fossem abertos, limpos e numerados. “Aí a gente acabou dando uma olhada, por cima, do que cada um tem.” Hoje, aos poucos, os documentos estão sendo digitalizados.

Para quem quiser conhecer o arquivo ou até mesmo pesquisar no local, ele funciona junto à sede da Prefeitura, no segundo piso. O horário de funcionamento é das 8 horas ao meio-dia e das 13 às 17 horas. Para manusear os documentos, é preciso usar máscara e luvas. Fotos apenas sem flash e anotações somente com lápis. Os documentos não podem ser retirados.

VEJA TAMBÉM: VÍDEO: Matriz tem arquitetura eclética e muita história

Lenda do lobisomem

Rio Pardo também teve o seu lobisomem. Há muitos anos, nas noites de sexta-feira, um enorme cachorro preto, com um só olho que lançava chispas vermelhas, aparecia no Bairro de Boa Vista. Não atacava as pessoas, mas os outros cães o temiam e não se aproximavam dele.

Sussurrava-se, entre os moradores do local, que o bicho era um senhor de idade que ali residia. À meia-noite ele se transformava em lobisomem e percorria as ruas, uivando lamentosamente.

VEJA TAMBÉM: VÍDEO: a Tranqueira Invicta e a lenda dos túneis

Tela de Zélia Kaufmann

Galeria

Junto ao Arquivo Histórico Municipal de Rio Pardo Biagio Soares Tarantino, está exposta a Galeria de Ex-intendentes e Ex-prefeitos do Município. Além das fotos, há uma breve biografia dos intendentes. Anteriormente, esses quadros ficavam no Gabinete do Prefeito e agora estão expostos para visitas de toda a população.

Galeria de Ex-intendentes e Ex-prefeitos do Município | Foto: Marília Nascimento

VEJA TAMBÉM: VÍDEO: Igreja São Francisco guarda tesouro em imagens

LEIA MAIS: VÍDEO: Rua da Ladeira foi a primeira a ser calçada no Estado

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.