Rádios ao vivo

Leia a Gazeta Digital

SABOR DO INTERIOR

VÍDEO: casal produz caldo de cana e melado à moda antiga

Foto: Rafaelly Machado

Nelson Fernando Heck, Ivo Baierle e Nilvia Heck: antigo sistema de produção em Linha João Alves é tradição que vem de família

Uma engenhoca antiga, pouco encontrada nos dias de hoje, é utilizada por moradores de Linha João Alves, em Santa Cruz do Sul. Os produtores Nelson Fernando Heck e a esposa Nilvia empregam uma moenda de tração animal – com duas vacas – para a produção de caldo de cana e melado. O trabalho conta com a ajuda do cunhado de Nelson, Ivo Baierle. O sistema considerado raro é o único da localidade e atrai olhares curiosos de quem visita a propriedade do casal.

O delicioso melado e o refrescante caldo de cana são feitos para consumo próprio. “A gente distribui para os vizinhos, amigos e familiares e gostamos de tomar também”, conta Nilvia. Para Nelson, o trabalho é feito principalmente porque é algo que lhe dá prazer. “Eu faço porque gosto”, diz. Nessa sexta-feira, foi a quarta vez no ano em que aconteceu a produção porque todo o processo demora muito e cansa quem realiza o trabalho. 

LEIA TAMBÉM: A Gazeta esteve lá: na terra da cana-de-açúcar

Depois de moída a cana, é possível conseguir em média 200 litros de caldo e até 30 quilos de melado. “Teve uma vez em que fizemos 50 quilos. Começamos de manhã e paramos à meia-noite”, relembra Nilvia. Nelson Heck conta que produz caldo de cana e melado desde sempre, já que foram os pais que lhe passaram a tradição, e a moenda é herança de família. “Em casa, desde pequeno, fazíamos muito, com a mãe e o pai. É um sistema antigo, hoje em dia é tudo muito modernizado.” 

Nilvia explica que, dependendo da quantidade de cana, o processo de moer leva de duas a três horas. Para fazer o melado, leva ainda mais tempo. “Depois, acordamos cedo, fazemos o fogo e deixamos fervendo até de tardezinha, para fazer o melado”, completa. Porém, todo esse trabalho é recompensado depois, ao poder aproveitar o sabor do líquido e do doce produzidos de forma caseira e artesanal.

LEIA TAMBÉM: Famílias Jeggli e Wander mantêm viva a tradição do melado batido

Cada processo realizado rende até 200 litros de caldo de cana e 30 quilos de melado | Foto: Rafaelly Machado

LEIA TAMBÉM: É tempo de colher (e saborear) morangos na região

Quer receber as principais notícias de Santa Cruz do Sul e região direto no seu celular? Então faça parte do nosso canal no Telegram! O serviço é gratuito e muito fácil de usar. Se você já tem o aplicativo, basta clicar neste link: https://t.me/portal_gaz. Se ainda não usa o Telegram, saiba mais sobre o app aqui e veja como baixar.

Aviso de cookies

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Para saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade.