Internacional 24/10/2018 14h37

Pacotes suspeitos são interceptados nos EUA; alvos eram Obama e Hillary Clinton

A sede da emissora CNN também foi evacuada após o recebimento do material

Pacotes suspeitos foram enviados a uma série de endereços nos Estados Unidos, nesta quarta-feira, 24, de acordo com o Serviço Secreto americano. Os envios foram feitos para o complexo de edificações conhecido como Time Warner, onde fica a emissora CNN, e para residências dos ex-presidentes Barack Obama e Bill Clinton, este marido da ex-secretária de Estado Hillary Clinton.

A agência, encarregada de proteger o presidente e outras autoridades, reforçou que interceptou a bomba endereçada a Hillary Clinton, em Nova York, e também descobriu um possível explosivo enviado para Obama, em Washington. Um esquadrão antibombas foi enviado ainda ao canal CNN, que chegou a ser evacuado devido ao pacote suspeito.

Nesta semana, um dispositivo explosivo já havia sido enviado na segunda-feira para o investidor George Soros. Não está claro, porém, se haveria alguma relação entre os episódios. Segundo o jornal The New York Times, a correspondência suspeita para Soros teria sido entregue em mãos.

Em comunicado, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, condenou as violentas tentativas de ataques contra Obama, Hillary e outras figuras públicas. Segundo a nota, o serviço secreto dos EUA investiga os episódios. Em sua conta no Twitter, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, condenou o ocorrido e afirmou que "essas ações covardes são desprezíveis e não têm lugar neste país". Ainda segundo ele, "os responsáveis serão levados à justiça". 

Casa Branca

Ainda nesta quarta-feira, o Serviço Secreto dos Estados Unidos afirmou que as informações que circularam na imprensa de que teria interceptado um pacote suspeito com destino à Casa Branca "estão incorretas".