Dia D 16/09/2020 07h15 Atualizado às 08h35

Desenho da disputa pela Prefeitura de Santa Cruz se define nesta quarta

Quatro candidaturas a prefeito de Santa Cruz devem ser homologadas em convenções partidárias até a meia-noite

Assim com o ocorreu em 2016, quando a composição da disputa pela Prefeitura só se definiu nos minutos finais do prazo previsto na legislação, Santa Cruz chega ao último dia de convenções partidária com parte do cenário eleitoral ainda em aberto. Até a meia-noite desta quarta-feira, 16, mais de dez partidos vão deliberar sobre seus rumos no pleito de 15 de novembro e quatro candidaturas a prefeito devem ser homologadas.

Até agora, a eleição já conta com três nomes aprovados em convenções: Carlos Eurico Pereira (Novo), Alex Knak (MDB) e Frederico de Barros. Dentre os partidos que se irão se reunir hoje, o PP e o Solidariedade já têm chapa fechada e não devem trazer surpresas.

Uma das principais dúvidas envolve o PSD, partido do prefeito Telmo Kirst, que ainda não anunciou a sua dobradinha. Nos últimos dias, os partidos aliados pressionaram para que o grupo fechasse questão em torno do empresário Ido Dupont na cabeça de chapa. Contudo, a ala mais próxima a Telmo não abre mão de um nome mais identificado com a gestão.

LEIA MAIS: Maioria dos partidos indica apoio ao fim da reeleição

A expectativa é obter um consenso até o início da convenção e evitar novas dissidências no grupo. Na terça, 15, o PV, que havia anunciado aliança com o grupo dez dias antes, decidiu apoiar o PTB, principal partido de oposição. O líder dos petebistas, Marco Borba, também confirmou na terça que a sigla formalizou um convite ao Republicanos. Segundo o presidente da sigla, Marcelo Corá, a tendência é permanecer com a situação, mas a palavra final será dada apenas na convenção. “Estamos aguardando um posicionamento do governo. Não nos antecipamos aos fatos, e a convenção é soberana”, alegou. DEM, Cidadania e Podemos devem se manter com o grupo de Telmo.

O PTB ainda precisa definir quem será vice na chapa encabeçada pelo vereador Mathias Bertram. A expectativa é por um veredicto do PSDB que, embora esteja inclinado a fechar acordo com os petebistas, irá submeter três possibilidades para votação na convenção, incluindo uma chapa pura liderada pelo vereador Carlão Smidt.

Passadas as convenções, os partidos têm até o dia 26 para encaminhar à Justiça Eleitoral os requerimentos de registros de candidaturas a prefeito e vereador. A campanha começa oficialmente no dia 27, com a liberação da propaganda eleitoral.

LEIA MAIS: ENTREVISTA: pandemia deve afetar número de abstenções nas eleições

AS DECISÕES DESTA QUARTA

PSD – O partido do prefeito Telmo Kirst (PSD) chega ao dia da convenção, que será virtual, com sua dobradinha ainda indefinida. Sem perspectivas de ampliar a aliança, a sigla deve concorrer com chapa pura. Segundo o presidente Régis de Oliveira Júnior, a ideia é retomar as conversas com todos os partidos que integram o grupo governista na parte da manhã para buscar um consenso sobre qual a melhor dupla para “a continuidade do projeto do prefeito”. Embora na semana passada o próprio Régis tenha divulgado que a chapa seria composta por ele e o empresário Ido Dupont, ontem ele admitiu a possibilidade de outros nomes serem indicados, como os ex-secretários Gerson Vargas, Jaqueline Marques e Léo Schwingel. Se não houver mais dissidências, a frente contará com o apoio do DEM, Cidadania, Republicanos e Podemos.

LEIA TAMBÉM: Mais da metade dos eleitos em 2016 não vai tentar a reeleição na Câmara

Helena Hermany

PP – Embora tenha apresentado um pedido oficial de coligação ao PSDB, os progressistas não consideram mais mexer na chapa. Ela está definida há mais de um mês e terá a vice-prefeita Helena Hermany (PP) na cabeça e o presidente da Câmara de Vereadores, Elstor Desbessell (PL), como vice. A frente deve contar também com o apoio do Avante e do PRTB. Sobre o convite aos tucanos, o presidente do PP, Henrique Hermany, alegou que os partidos possuem “afinidades”. A convenção será na Câmara.

Mathias Bertram

PTB – O partido tem definida a indicação do vereador Mathias Bertram, mas falta escolher o vice. Segundo o presidente Marco Borba, a legenda aguarda uma posição do PSDB. Caso os tucanos não aprovem a aliança, a convenção irá indicar outro nome do PTB. A frente ganhou o apoio do PV ontem e também formalizou um convite ao Republicanos. A convenção será no pavilhão da Espírito Santo.

PSDB – Sem consenso sobre qual caminho seguir no pleito, os tucanos devem tomar uma decisão por meio de votação. Serão três possibilidades em jogo: aliança com PP, aliança com PTB e chapa pura. Conforme o presidente César Cechinato, o acordo com o PTB é o que tem mais apoio junto aos convencionais e candidatos a vereador. Nesse caso, é provável que os tucanos indiquem o vice de Mathias Bertram. Defensor aguerrido da candidatura própria, o vereador Carlão Smidt disse que manterá o nome à disposição até o fim. “Vou manter em respeito aos inúmeros pedidos que tenho recebido da comunidade para concorrer”, disse. A aliança com o PP é a menos provável. A convenção será na sede do Esporte Clube Avenida.

Irton Marx

Solidariedade – O partido já tem definida a indicação do ex-vereador Irton Marx e de Walter Couto, que também integra o movimento separatista, para concorrer à Prefeitura. A convenção será na residência de Marx.

LEIA MAIS: O que você precisa saber sobre as eleições, que ocorrem daqui a dois meses