Safra 2020 03/09/2020 11h17

Em Passo do Sobrado, o tabaco já está na estufa

Na localidade de Potreiro Grande, meta é encerrar a colheita ainda na primavera, para evitar perdas causadas pelo calor

O primeiro hectare do total de cinco que serão cultivados na propriedade da família Melo, no interior de Passo do Sobrado, já rendeu as primeiras folhas de tabaco. Cinco folhas de cada pé estão penduradas na estufa e nesta quinta-feira, 3, devem deixar a secagem, estreando a produção da safra 2020 e 2021. A intenção é evitar o calor de dezembro e ganhar mais qualidade nas 13 toneladas previstas para a área localizada em Potreiro Grande.

O agricultor Mateus Gewehr Bastos divide o trabalho com a esposa Ana Laura de Melo Bastos. “Antecipando a colheita, a gente também não enfrenta o problema de falta de estufa para a secagem”, contou. Nessa etapa, as folhas precisam ficar sete dias no forno, a uma temperatura média de 115 graus. “As ponteiras, que são as últimas a serem colhidas, precisam de dez dias.”

O tabaco cultivado nas terras dos pais de Ana Laura é o Virginia 115, em uma variedade com folhas menores, que se desenvolvem mais rápido. “Há alguns anos a gente já cultiva esse tabaco, para dar condições de secar todo ele, sem perder qualidade”, ela afirmou.

LEIA TAMBÉM: Frente em defesa dos produtores de tabaco será lançada nesta quinta-feira

O trabalho na propriedade é supervisionado pela avó de Ana, dona Maria Veleda Zinn. Ela não vai mais para a lavoura plantar. Os quatro stents no coração não lhe permitem executar o serviço mais puxado, característico da roça de tabaco. “Eu gosto da conversa que dá na estufa. As brincadeiras. A minha fisioterapia é trançar as folhas de tabaco para guardar”, disse a avó.

A família trabalha para estar com tudo pronto até a segunda quinzena de novembro. Logo após a conclusão da colheita, terá início a atividade de processamento e separação das folhas. “Aí, quando a indústria começar, em janeiro, nós estaremos com tudo pronto para a venda do tabaco logo no início”, salientou Ana Laura.

LEIA TAMBÉM: Exportação de tabaco tem queda de quase 24% no segundo trimestre

AINDA EM COMERCIALIZAÇÃO
A Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) ainda não concluiu o levantamento da área de tabaco plantada para a temporada 2020- 2021.

A safra passada, plantada em 2019 e colhida neste ano, ocupou uma área de 290.954 hectares nos três estados do Sul. Como a comercialização a safra 2019-2020 ainda não foi concluída, a Afubra não tem a produtividade total das lavouras.

LEIA TAMBÉM: Por dentro da safra: hora de aplicar a segunda dose de salitre