AGROECOLOGIA 11/09/2020 17h31 Atualizado às 18h09

Grupo da Efasc produz e vende alimentos sem agrotóxicos

Escola busca alternativas para garantir o prosseguimento das ações pedagógicas durante a pandemia do novo coronavírus

A Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul (Efasc) começou esta semana as atividades do grupo pedagógico de produção e venda de alimentos, envolvendo estudantes em formação escolar. Em razão do isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus, a instituição busca alternativas para garantir o prosseguimento das ações pedagógicas.

Além de atividades e aulas remotas pela internet, um grupo de estudantes resolveu aceitar um novo desafio: organizar-se para produzir e vender alimentos livres de agrotóxicos, oriundos de suas áreas experimentais, nas suas propriedades familiares.


A ideia estava em articulação desde o início do ano, por meio de uma parceria entre a Efasc e a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs). A ação integra o Projeto Extensionismo Agroecológico: Criação de um grupo de jovens estudantes e egressos da Efasc ligados à Feira Pedagógica, coordenado pela professora Daniela Mueller de Lara, da Uergs.

LEIA TAMBÉM: No supermercado, mais de 100 produtos vêm de agroindústrias locais

A parceria proporcionou a cedência de dois bolsistas, estudantes do bacharelado em Agroecologia da Uergs e da Associação Gaúcha Pró-Escolas Famílias Agrícolas (Agefa), Bruna Richter Eichler e Mateus Ferreira Reis Costa. Eles também são egressos da Efasc e responsáveis por assessorar o grupo, sob coordenação dos monitores Antonio Carlos Gomes e Evandro da Rosa Silveira.

O grupo se reuniu virtualmente pela primeira vez no dia 21 de agosto. Formado por estudantes das três séries do Ensino Médio em Técnico em Agricultura, as atividades contam com a participação daqueles que residem em comunidades mais próximas à Efasc, como Monte Alverne, Andrade Neves, Boa Vista, Pinheiral, Linha Santa Cruz, Linha João Alves, Cerro Alegre Alto e Cerro Alegre Baixo.

A primeira entrega de alimentos ocorreu na última quarta-feira, 9 – 350 quilos de hortaliças, frutas, mandioca e batata-doce, em parceria com a Mitra Diocesana de Santa Cruz do Sul no projeto coordenado pela assistente social Dieni Berté. A ideia foi aproximar os jovens produtores de alimentos da Efasc com as famílias em situação de vulnerabilidade atendidas pela Mitra.

LEIA TAMBÉM: Feira Jovem da Boa Vista recebe equipamentos

Alternativa

A logística do novo grupo pedagógico foi organizada pelos bolsistas da Uergs, percorrendo um roteiro em todas as propriedades dos estudantes, seguindo os protocolos de segurança necessários. Para cobrir os custos do transporte e da emissão de nota fiscal, os participantes definiram um percentual a ser descontado de cada venda, ressaltando o caráter pedagógico da ação, que, além da questão agrícola, contempla a organização, administração e a contabilidade das vendas.

Com as atividades, mais um canal de venda está em criação pela juventude, relacionando estudo com produção de alimentos, numa lógica da promoção de saúde, pois todos os itens oferecidos pelo grupo são livres de agrotóxicos. Assim, a ação oferta à região mais um espaço de compras de alimentos, diretamente da agricultura familiar.

LEIA TAMBÉM: Jovens fazem germinar sementes da agroecologia